Conteúdo por Gazeta Esportiva

Hamilton diz que evitou correr riscos com Bottas em Silverstone

Neste domingo, Lewis Hamilton largou na segunda colocação, ultrapassou Valtteri Bottas, seu companheiro de Mercedes, e venceu o Grande Prêmio da Grã-Bretanha, no circuito de Silverstone. E de acordo com o britânico, tudo foi feito com cautela.

Após a prova, Hamilton exaltou Bottas por conta da pole conquistada, e disse que evitou correr maiores riscos diante do seu companheiro de equipe.

“Sei como é difícil conseguir uma pole aqui. Ele (Bottas) fez um trabalho fantástico, e eu sei como é difícil acordar e entregar em todo fim de semana, então o respeito existe entre nós. Queremos competir roda a roda e de forma dura, mas quando você está duelando com um companheiro de equipe, está num nível diferente. Se eu estivesse correndo na Ferrari, correria mais riscos”, disse.

O atual líder do Mundial de Pilotos assumiu a liderança da prova ainda nas primeiras voltas, mas viu Bottas reassumir a ponta na sequência. Após parar nos boxes, durante a intervenção do safety-car, portanto, o pentacampeão voltou à liderança para não sair mais.

“Como companheiros de equipe, nos sentamos antes da corrida, falamos sobre a curva 1 e como nos respeitar, e assegurar como não colidir. E mesmo quando eu o peguei e ele estava voltando, eu poderia ter voltado à frente e o bloqueado – mas essa não é a coisa certa a fazer. Em última análise, isso permitiu que ele voltasse – mas isso é corrida”, afirmou.

Por fim, Lewis Hamilton ainda explicou a vitória, e negou que tenha vencido apenas por ter feito sua troca de pneus durante a entrada do safety-car.

“Estava indo para uma parada, e ele estava em duas, então o safety car não teria feito nenhuma diferença. Quando fiz o pit na 16ª volta, meu plano era compensar o máximo possível. Acho que fiz quatro voltas a mais ou algo assim e provavelmente poderia ter feito outra volta ou duas. Ele deveria estar me alcançando, mas não estava, e eu estava mantendo a diferença. Eu saí dos boxes sete décimos à frente, então chegou a um, depois a um e meio, mas ficou por volta de um e meio a dois segundos. E eu poderia ter apenas sentado atrás dele se quisesse, e então eu teria que ceder. Então, eu teria essa diferença de 21 segundos, então isso não fez diferença”, completou.

Mais conteúdo sobre

Mais Esportes