Havaiano e brasileiro vencem campeonato nas ondas gigantes de Nazaré, em Portugal

Atualizado

A World Surf League (WSL) realizou o primeiro Nazaré Tow Surfing Challenge presented by Jogos Santa Casa nesta terça-feira (11). Foram seis horas seguidas de muita ação, emoção e inovação em ondas de 40+ pés (12-15 metros). Os brasileiros Maya Gabeira, Rodrigo Koxa, Pedro Scooby e Lucas “Chumbo” Chianca enfrentaram as ondas desafiadores de Nazaré, com Lucas Chumbo e seu parceiro de equipe, o havaiano Kai Lenny ganhando o prêmio de Melhor Equipe.

Havaiano Kai Lenny e brasileiro Lucas Chumbo Chianca erguem o troféu. Foto: Damien Poullenot/ND

“Faz muito tempo que este evento está sendo desenvolvido”, disse Bill Sharp, o Big Wave Tour General Manager. “É fantástico experimentar um formato completamente diferente, essencialmente uma expression session de um dia sem se preocupar em avançar ou conseguir uma nota antes de um certo período de tempo. Tudo deu certo e hoje foi um dos melhores dias da história do surf em ondas grandes.”

A competição começou às 8h30min (horário local) com vento terral, algo raro, e ondas grandes quebrando em frente do famoso Farol da Praia do Norte. Os competidores entraram imediatamente na água e começaram foram batalhar contra as montanhas aquáticas com uma plateia de fãs nos penhascos do farol. A performance foi aumentando ao longo do dia, à medida que os surfistas e os pilotos de tow-in foram se acostumando com as condições do swell de hoje.

Surfista da equipe Europa em ação. Foto: Damien Poullenot/ND

O formato inédito do Nazaré Tow Surf Challenge contou com nove duplas – 17 homens e duas mulheres – em baterias rotativas e um sistema de prioridade que mantém cinco equipes na água o tempo todo. Cada equipe de tow-in participou em tries baterias de uma hora e testaram os limites de performance em ondas grandes. E, exclusivo para este evento, os resultados finais foram determinados por um painel de juízes liderado pelos próprios atletas.

O havaiano Kai Lenny e o brasileiro Lucas Chianca ganharam na categoria Melhor Dupla. Os dois surfistas foram os destaques do dia com performances brilhantes em condições desafiadoras. “Tivemos poucas oportunidades de treinar juntos, somente algumas sessões,” disse Chianca. “Mas quando vejo as performances do Kai, acho que combina perfeitamente com meu estilo e do jeito que gosto de encarar as ondas grandes. Um instiga o outro, mas rola uma sintonia e um foco parecido”.

Surfista da equipe do Atlântico. Foto: Damien Poullenot/ND

Kai Lenny ainda ganhou o prêmio de Melhor Onda (masculino) com manobras radicais e aéreos nas ondas de tamanho de um prédio. “Eu não teria a oportunidade de surfar essa onda se não fosse o Lucas, então metade desse prêmio é dele,” disse Kai Lenny. “Isso é a parte maneira de tow-in. Faz anos que estou competindo contra ele em eventos de ondas grandes na remada, então foi ótimo ter essa chance de fazer parte da mesma dupla e fortalecer essa amizade dentro da água. Ele me colocou perfeitamente na onda, ela formou uma parede incrível e acabou sendo muito maior do que eu esperava,” finalizou o havaiano.

Resgate do surfista português Alex Botelho. Foto: Laurent Masurel/ND

Outra dupla de brasileiros que competiu foi formada pelo recordista mundial em ondas grandes, o paulista Rodrigo Koxa, e o carioca Pedro Scooby. Maya Gabeira, a única surfista brasileira na competição, surfou bem na primeira bateria do dia e fazia parte da equipe Team World ao lado do alemão Sebastian Steudtner.

No final do dia, um resgate emocionante ocorreu após o atleta de Portugal Alex Botelho sofrer um acidente e bater a cabeça no jet-ski, ficando inconsciente na água. A equipe de resgate conseguiu socorrer o Botelho e surfista foi levado para o hospital. Atualmente, ele está estável e consciente. Ele ficará no hospital para uma avaliação adicional.

Mais conteúdo sobre

Surfe