Conteúdo por Gazeta Esportiva

Hernanes projeta estar 100% até o fim da semana: “Era o que precisava”

Atualizado

Hernanes celebrou o fato de poder entrar em forma sem pressa graças à intertemporada que o elenco do São Paulo realiza em Cotia durante a pausa para a disputa da Copa América. Empolgado para voltar a jogar com a camisa tricolor na plenitude de sua forma física, o Profeta garantiu estar 100% até o fim desta semana, a segunda de preparação para o reinício do Campeonato Brasileiro.

“Precisava de um tempo realmente para poder recuperar o músculo, e agora nesse tempo que estamos trabalhando para preparar o músculo os treinamentos estão sendo bem intensos, bem legais. Estou bem contente, bem feliz, porque era o que eu precisava para me colocar em forma em todos os sentidos. Todo mundo está com um espírito muito bom, trabalhando forte”, disse Hernanes à Spfctv.

Durante os nove dias de folga que o elenco recebeu antes de voltar ao batente, Hernanes aproveitou para visitar a família que mora na Itália e recarregar as energias ao lado dos filhos. Agora, devidamente estabelecido, o Profeta espera repetir no Brasileirão o desempenho que teve no jogo-treino contra o São Bento, na última sexta-feira, quando foi um dos destaques da vitória do São Paulo por 4 a 2.

“No amistoso que tivemos, apesar de ter sido 45, 50 minutos [de participação], deu para testar e ver que estou bem próximo do meu 100%. Estou no caminho certo e tenho certeza que até o fim da semana estrei 100% de minha condição física muscular, estou bem contente com isso. No amistoso que teve tentamos imprimir isso e colocar essa identidade de, independentemente do que aconteça, ter que colocar a bola no chão e tentar jogar, aparecer para o jogo. Quando perdermos a bola, temos que ter agressividade na marcação. Essa tem sido a tônica do Cuca e sobre esse aspecto pudemos notar diferenças já no amistoso”, prosseguiu.

Mas Hernanes não valorizou o período de preparação em Cotia apenas por ter tido tempo suficiente para se recondicionar. O Profeta também categorizou a intertemporada como positiva por questões que vão além das quatro linhas.

“Após as refeições, além de treinarmos juntos, nos alimentarmos juntos, ficamos um pouco mais na mesa conversando sobre vários assuntos. Então, se cria uma intimidade, um conhecimento maior do outro. Tem sido legal em todos os aspectos, e esse é um dos aspectos importantes, porque quando vai se criando uma amizade maior, haverá disposição dentro de campo quando o companheiro errar, cobrir o erro do  companheiro, porque a gente sente pelo companheiro. Não é mais um colega de trabalho, mas um amigo que fez uma besteira e tu vai cobrir. Essa amizade que se cria também é importante”, concluiu.

Futebol