Holloway procura ‘resposta’ para sintomas de concussão e faz desabafo

Max Holloway diz que não teme pelo futuro no MMA e quer voltar ao octógono ainda em 2018 (Foto: Getty Images)
Max Holloway diz que não teme pelo futuro no MMA e quer voltar ao octógono ainda em 2018 (Foto: Getty Images)

O ano de 2018 não está sendo positivo para Max Holloway, atual campeão dos penas. O havaiano foi cortado de três lutas em sequência por diversos motivos, sendo a última no UFC 226, realizado neste mês de julho. “Blessed” iria defender o cinturão contra Brian Ortega, mas há poucos dias do combate, foi diagnosticado com sintomas de concussão e precisou sair do card. O lutador, no entanto, afirmou que ainda não encontrou o “motivo”.

– Fui a vários médicos e especialistas, mas eles não conseguiram nos dar nenhuma resposta sobre o que aconteceu. Única coisa que eles sabem agora e é que estou bem. Eu estou bem e vou lutar de novo, é tudo o que sabemos – contou Holloway à Ariel Helwani, que em seguida descartou a hipótese de ter sofrido um nocaute no treino, problema com o corte de peso para chegar a divisão dos penas ou até mesmo um derrame.

– Não foi o corte de peso. Bati o peso mais de 20 vezes e vocês estiveram lá nos cortes de peso duros e nos mais fáceis. Isso não foi uma coisa do corte de peso. Foi estranho. Quando estávamos no pronto-socorro com os médicos, a palavra “acidente vascular cerebral” nunca surgiu. Eu não acreditava quando as pessoas tentavam usar isso. Quando ouvimos os boatos surgirem, pensei que era apenas para caçar cliques. Se fosse um problema de derrame ou coração, como em sã consciência os médicos me dispensariam do hospital? Eu nunca tive medo de nunca mais lutar. Nunca passou pela minha cabeça que poderia não lutar de novo – apontou Holloway.

Ainda em suspensão médica de 30 dias, sem poder ter qualquer tipo de contato, o havaiano disse que esperar encontrar uma resposta e ajudar o Ultimate com a prevenção de novos casos. “Blessed” disse que pretende voltar a lutar ainda em 2018.

– Não estou preocupado. Fico feliz que não encontraram nada, mas espero que encontrem algo. Aquela semana (do UFC 226) eu não desejaria ao meu pior inimigo. Espero que possamos encontrar algo e compartilhar com o UFC, para que também outro lutador não tenha que passar pelo que eu passei. Foi uma semana louca para mim. Continuaremos fazendo testes e veremos alguns especialistas em breve – encerrou.

Mais conteúdo sobre

Esporte