Conteúdo por Gazeta Esportiva

Ida à Argentina e “surpresa”: presidente do Santos revela detalhes da vinda de Sampaoli

Presidente do Santos explica negociação com Sampaoli (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

O presidente do Santos, José Carlos Peres, revelou detalhes da surpreendente contratação do técnico Jorge Sampaoli em dezembro de 2018.

Como a Gazeta Esportiva publicou à época, o Peixe tinha quase tudo certo com Ariel Holan, à época no Independiente (ARG), mas Peres recebeu a sugestão de um empresário argentino conhecido, chamado Martin Baredes, primo de Fernando Baredes, agente de Sampaoli.

Para evitar o vazamento do negócio, o presidente foi à Argentina “escondido” no dia 12 de dezembro. A imprensa soube apenas quando as tratativas estavam encaminhadas.

“Foi uma das situações mais interessantes nesses 70 anos de idade. Estava contratando o Ariel Holan, do Independiente, fiz uma reunião na Argentina e outra em São Paulo. Fez considerações, pediu reforços e queria investimento grande. Eu estava sem dinheiro. E por acaso, o Matias, amigo na Argentina, disse que trabalhava com o Sampaoli. Do nada. Eu sempre falava com ele, mas como ia saber que trabalhava com Sampaoli? Fui para lá e me encontrei rapidamente, ninguém ficou sabendo. Só quem emitiu a passagem soube. Sampaoli saiu de Rosario, foi para Buenos Aires, conversamos e havia uma diferença grande (de salário). Chegamos no meio-termo, eu não pagaria tanto e ele não receberia tanto. Ele assinou um aceite. Liguei para o Rodrigo (Gama, ex-chefe do departamento jurídico), ele enviou o documento, imprimimos e fechamos. Ninguém sabia. Depois disso a primeira missão era convencer o Comitê de Gestão que eu tinha contratado alguém sem autorização. Ninguém acreditou. Eu tinha a assinatura, estava calçado. Tivemos a aprovação e marcamos a apresentação. Eu queria treinador ofensivo, para voltarmos a encantar e vencer. Saí de um Jair Ventura, muito retranqueiro, fui para o Cuca, que estava no meio, e veio um ofensivo”, disse Peres, no “Peixecast” no Spotify.

Procurados pela Gazeta Esportiva, os empresários e primos Fernando e Matias Baredes confirmaram a versão de José Carlos Peres.

“Sim, foi isso. Me lembro bem da negociação por ter sido no meu aniversário”, resumiu Fernando.

“Não posso dizer que a culpa foi minha por ter indicado, foi um trabalho em conjunto. Esse reconhecimento é gratificante. Peres assumiu o risco. Gostei muito de conhecer a ele e Pedro (Felipe), seu advogado”, falou Matias.

Futebol