Conteúdo por Gazeta Esportiva

Raulzinho relata conversa com Gobert e envia recado sobre coronavírus

Atualizado

O surto do novo coronavírus paralisou as grandes ligas dos mais variados esportes. Na NBA, a liga nacional de basquete norte-americano, os jogos foram suspensos na última quarta-feira por ao menos trinta dias. Armador do Philadelphia 76ers e da Seleção Brasileira, Raul Neto, o Raulzinho, falou sobre a epidemia, as orientações passadas pela equipe e sobre a importância dos cuidados para a prevenção do COVID-19.

“Todo mundo está atento a essa situação da pandemia, do coronavírus. A gente aqui sofreu com isso, a NBA está parada, não tem jogo, não tem treino e estamos em casa, igual muitos de vocês. Estou aqui para falar que a coisa é séria, a gente tem acesso a médicos e especialistas, coisas que muitas pessoas não podem ter. Um pouco das coisas que passaram para gente é ficar em casa, não ter contato com muita gente e não sair para lugares fechados. Fazendo isso a gente vai proteger os nossos familiares, principalmente as pessoas mais velhas. Eu tenho feito isso, tenho certeza que todos os atletas estão em casa e queriam estar jogando e treinando, mas no caso a gente tem que ser consciente. Não está sendo fácil e espero que todo mundo tome as providências que devem ser tomadas para que a gente possa estar de volta nas quadras e todo mundo possa estar de volta ao seu dia a dia normal o quanto antes. Minha mensagem é essa, espero que todos estejam em casa, estejam bem, saudáveis. Acho que juntos podemos conter essa epidemia o mais rápido possível”, afirmou.

Raulzinho, camisa 19 do Philadelphia 76ers, em partida contra o Golden State Warriors

Raulzinho comentou que está em quarentena, mas ainda não fez o teste para o coronavírus. O atleta também mencionou na postura da NBA após o diagnóstico positivo à doença dos jogadores Rudy Gobert e Donovan Mitchell.

“Assim que o Rudy Gobert e o Donovan Mitchell testaram positivo no teste a liga (NBA) parou. A gente não teve treino no dia seguinte ao jogo contra o Detroit, ficamos sabendo agora pouco que um jogador do Detroit estava com coronavírus, então agora estamos em quarentena, vamos ter que fazer o teste para ver se estamos ou não contaminados. Estamos esperando isso sair para ver como que a liga e o nosso time vai reagir. A gente está esperando mais informações para saber o que vai acontecer daqui para frente”, relatou.

O jogador de 27 anos também destacou a realidade na cidade de Filadélfia e a dificuldade em ficar confinado dentro de casa, mas acredita que a criação de uma rotina adaptada a situação facilita o dia a dia.

“No começo foi um pouco difícil acostumar a ficar em casa o dia inteiro. A gente que está acostumado a ir para os treinos, jogos e viagens, ficar em casa é bem difícil. Mas assim que eu comecei a ficar mais consciente, sabendo que vou ficar bastante em casa, sem poder sair, comecei a criar uma rotina de estipular um horário para acordar, um horário para fazer exercício, para meditar, para ler e também aproveitar o tempo em que estou em casa para falar com a minha família, coisa que durante a temporada a gente não tem muito. Agora está ficando um pouco mais fácil, lógico que muito preocupado com a situação no mundo inteiro, mas agora que eu criei essa rotina dentro de casa tem ficado mais fácil. A cidade tem começado aos poucos a ficar mais parada, supermercados estão acabando quase tudo, restaurantes estão começando a fechar, locais com bastante gente junto também estão começando a cancelar eventos e está começando a parar tudo aqui em Philadelphia”, proferiu.

Por fim, Raulzinho afirmou ter entrado em contato com Rudy Gobert e com outros jogadores do Utah Jazz, equipe que defendia até 2019, e revelou que a situação está controlada, com todos tomando as precauções necessárias.

“Eu cheguei a conversar com o Rudy Gobert, para ver como ele estava, conversei com outros jogadores do time quando eles ainda estavam no vestiário esperando para fazer o teste. Situação muito chata, complicada, mas acho que é bom para o resto do mundo saber que isso é real, que isso é preocupante, a gente tem que levar a sério. O Rudy foi um exemplo, ele até se desculpou publicamente de não ter levado a sério no começo, de ter feitos algumas brincadeiras que não só ele mas outros jogadores com certeza fizeram, mas ele acabou sendo contaminado e mundo caiu em cima dele. Conversei com ele, ele está bem, tomando as precauções que os médicos falaram para ele tomar”, concluiu, mencionando o fato de Golbert ter ironizado as medidas da NBA contra o coronavírus antes de ser diagnosticado com a doença.

Mais Esportes