Conteúdo por Gazeta Esportiva

Jogadores do Furacão valorizam título conquistado no Japão

Jogo começou complicado, mas virou goelada nos segundo tempo (Miguel Locatelli/CAP)

Com a maior goleada da história entre os confrontos da decisão entre os campeões da Copa Sul-americana e da Copa da J.League, o Athletico Paranaense venceu o Shonan Bellmare por 4 a 0 e levantou o título da Levain Cup, mais um passo importante para a internacionalização do clube. Marcelo Cirino, que abriu a contagem no Japão, o elenco mostrou sua força e precisa ser valorizado.

“Fico feliz pelo gol, mas tem que dar os parabéns para toda equipe, para os jogadores do banco que entraram e fizeram seu papel. Viemos aqui em busca disso. Temos que valorizar. Viagem longa, trabalhamos muito”, disse o atacante, que minimizou possíveis críticas à importância da disputa. “Para alguns pode não ter tanta importância, mas para nós tem muita”, acrescentou.

Para o zagueiro Léo Pereira, o título mostra a constante evolução do grupo e será destaque no currículo tanto dos atletas, quanto do Rubro-Negro. “É sempre maravilhoso ganhar título, e um título internacional reconhecido pela Fifa. É importante para nossa carreira. A gente vem buscando evoluir a cada dia, a cada treinamento, a cada jogo, para dar o melhor e ajudar o Athletico”, afirmou.

O defensor rubro-negro destacou as dificuldades enfrentas pelo grupo desde a chegada mas, principalmente, a superação para buscar em campo a vitória. “Aqui é completamente diferente, fuso horário, a comida é diferente. Estamos de parabéns por ter esse profissionalismo e conseguir se adaptar. Não foi 100%, mas foi o suficiente para poder vencer”, avaliou.

Cobiçado por outro clube, Bruno Guimarães pode estar próximo de sua saída, mas, por enquanto, só pensa na Copa do Brasil, competição para qual o Furacão vai com moral após a conquista. “Foi difícil, fuso horário, cansaço, calor, muitas adversidades. Mas, provamos que o grupo é forte Quem entrou deu conta do recado. Agora coroou e nos dá mais confiança para a Copa do Brasil”, concluiu.

Futebol