Johnny Eduardo quer ‘trocar porrada’ com Wineland em retorno ao UFC

Atleta da Nova União fala ao L!Net sobre volta ao octógono após quase dois anos sem lutar, analisa série de lesões e promete 'show' contra quarto colocado na categoria

Divulgação

Baseado no comprometimento e esforço exigidos pelo esporte, muitos atletas gostam de dizer que é preciso muito amor e principalmente vocação para ser tornar um lutador de MMA. E Johnny Eduardo é um bom exemplo disso. Especialista em muay thai, o carioca compete desde a adolescência e soma 35 lutas na carreira, vivendo sempre do trabalho como lutador e treinador. Agora, imagine ser tão envolvido com as artes marciais e ter de ficar quase dois anos sem lutar. É o caso de Johnny. Neste sábado, o atleta da Nova União volta a se apresentar no octógono no UFC de Cincinnati, contra Eddie Wineland. 

Em entrevista ao LANCE!Net, o atleta falou sobre a trajetória difícil que enfrentou longe do UFC, a série de lesões que encarou e ainda o desafio de enfrentar Wineland, que em sua última luta disputou o cinturão de Renan Barão. Para o brasileiro, a oportunidade de testar contra um lutador de alto nível mostra a confiança que o evento dposita no seu trabalho.

– Estou feliz. Se eles (o UFC) estão me dando essa oportunidade, é por que viram que também sou um cara de nome e posso dar um grande show . Não iam botar um lutador qualquer contra o cara só para criar um “Capitão América” deles. Não sou trampolim. Eles pensam em luta que possa vender e dar bons frutos. É a minha volta, somos dois strikers, estou na estrada tem tempo, ele também. Nossa única diferença é que ele teve uma oportunidade mais cedo e estou galgando meu espaço. Mas a minha hora vai chegar – declarou o lutador, em conversa por telefone.

Johnny ainda revelou a tristeza que sentiu durante todo esse tempo fora. Ele é o segundo atleta do UFC há mais tempo sem lutar – só perde para Dominick Cruz. Após a vitória contra Jeff Curran, em maio de 2012, o lutador enfrentou uma série de lesões que o afastou do octógono. Sem lutar por tanto tempo, o lutador prefere enxergar o lado bom.

– Tive algumas lesões, mas foi bom ter ficado tanto tempo fora. Isso fez eu repensar a minha carreira, procurar saber quem eu era de verdade… É muito fácil quando você tem uma oportunidade, mas nem sempre sabe como aproveitar. Quero aproveitar todos os momentos que estou tendo. Minha carreira não é só o UFC. O evento é o sonho máximo, mas minha trajetória no esporte é desde moleque, sempre senti essa adrenalina de competição e sempre vivi isso desde cedo. Ficar um ano, dois anos afastado me deixou triste, mas foi bom, pois me deu mais força de voltar aos treinos com garra e dedicação. Sou um vencedor e posso estar brigando pelo meu espaço. Sou merecedor igual todos – avaliou. 

Wineland e Johnny se encaram em pesagem antes do combate (FOTO: Divulgação/UFC)

Confira um bate-papo com Johnny Eduardo
Como foi ficar tanto tempo sem lutar?
Nunca cheguei a ficar em depressão. Vivo as artes marciais todos os dias. Nunca parei, só não estava competindo. Nós brasileiros temos dificuldade grande de treinar, conquistar patrocínios, recursos. Nós somos vencedores pelas adversidades do dia a dia. É uma vitória para treinar, competir, e tudo isso é um sonho realizado.

Qual a sua análise do Eddie Wineland?
Nós somos atletas do UFC, não existe ninguém de baixo nível ou mediano, é tudo alto nível. Acho que vai ser uma excelente luta, estou voltando para trocar porrada. Não sei quanto a ele, mas sei o que quero fazer. Estou batalhando tem um tempo já.

Barão acabou de nocauteá-lo. Ele te ajudou nos treinos?
Meu camp foi muito bom. O Barão me ajudou bastante, falou das qualidades e movimentações que o Wineland costuma fazer. Sabemos quem ele é, só tenho a agradecer ao quartel da Nova União.

O UFC de Cincinnati acontece neste sábado, a partir das 19h, e além de Johnny Eduardo x Eddie Wineland ainda conta a apresentação de mais três brasileiros. Erick Silva, Yan Cabral e Rafael Natal encaram Matt Brown, Zak Cummings e Ed Herman, respectivamente.

Confira as lutas do evento
CARD PRINCIPAL
Matt Brown x Erick Silva
Costa Philippou x Lorenz Larkin
Erik Koch x Daron Cruickshank
Neil Magny x Tim Means
Soa Palelei x Ruan Potts
Chris Cariaso x Louis Smolka
CARD PRELIMINAR
Ed Herman x Rafael Sapo
Kyoji Horiguchi x Darrell Montague
Yan Cabral x Zak Cummings
Eddie Wineland x Johnny Eduardo
Manny Gamburyan x Nik Lentz
Justin Salas x Ben Wall
Anthony Lapsley x Albert Tumenov

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Esportes

Loading...