Conteúdo por Gazeta Esportiva

Justiça do Paraguai mantém Ronaldinho e Assis em prisão preventiva

A Justiça do Paraguai determinou neste sábado que Ronaldinho e Assis seguirão em prisão preventiva no caso dos documentos falsos. Após audiência de cerca de quatro horas, a juíza Clara Ruíz Díaz decidiu manter a reclusão dos brasileiros, que pode durar até seis meses.

Agora, a dupla retornará a Agrupación Especializada, uma delegacia da Polícia Nacional em Assunção, onde aguardarão as próximas decisões da Justiça.

Ronaldinho e Assis tiveram prisão preventiva por medida cautelar decretada na última sexta-feira, sob justificativa de que a dupla poderia deixar o Paraguai e atrapalhar no andamento das investigações.

Na audiência deste sábado, a defesa dos brasileiros alegou que Assis tinha doenças cardíacos que justificariam a prisão domiciliar; porém não tinham documentos suficientes para provar a condição, que foi negada.

Futebol