Justiça mantém liminar favorável ao Flu na venda de Diego Souza ao São Paulo

Diego Souza, em ação pelo São Paulo (Foto: Thomas Santos/AGIF)
Diego Souza, em ação pelo São Paulo (Foto: Thomas Santos/AGIF)

A 5ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro rejeitou, nesta quinta-feira, o recurso do Sport referente à venda do atacante Diego Souza ao São Paulo. Portanto, a liminar que obrigou o clube paulista a pagar ao Fluminense em juízo parte da venda feita pela equipe pernambucana foi mantida.

O desembargador Henrique Carlos de Andrade Figueira decidiu que o Sport não tem razão para pedir o bloqueio obtido judicialmente. Com isso, o São Paulo não pode pagar R$ 5 milhões da negociação ao Sport. Esse valor é referente aos 50% dos direitos do jogador que o Flu diz ter direito. O valor total da venda foi de R$ 10 milhões. A informação foi publicada pelo “O Globo” e confirmada pelo LANCE!, que teve acesso aos documentos do processo.

Decisão Diego Souza - Fluminense, São Paulo e Sport

(Foto: Reprodução)

Decisão Diego Souza - Fluminense, São Paulo e Sport

(Foto: Reprodução)

Quando cedeu Diego Souza ao Sport em 2016, o Fluminense manteve 50% dos direitos econômicos do atleta. Os pernambucanos, no entanto, se baseiam em uma troca de e-mails de Marcelo Teixeira, dirigente da base do Flu, com Eduardo Uram, empresário do jogador, no fim de 2017, que afirma que o clube carioca só teria direito a R$ 1 milhão.

“Incontroverso que o Sr. Marcelo Teixeira não detém poderes de representação do Agravado, embora integre seu corpo diretivo, e a possível regularidade na sua atuação para determinar os limites do direito do Agravado com base na transparência ainda necessita da indispensável prova. Por outro lado, também o Agravante não está envolvido expressamente no referido documento, pois endereçado a terceiro, de modo que, a princípio não se observa qualquer intenção objetiva das partes em modificar a obrigação contratada”, disse o desembargador na decisão.

Assim, o caso segue sem solução definitiva e o processo ainda corre na Justiça do Rio. Ainda cabe recurso do Sport pela decisão. A destinação desses R$ 5 milhões pagos em juízo só será definida após o julgamento.

Mais conteúdo sobre

Esporte