Conteúdo por Gazeta Esportiva

Luxa relembra preleção da final do Paulista de 2008 com faixas de campeão

Comandado por Luxemburgo, o Palmeiras conquistou o Campeonato Paulista de 2008

Muitos profissionais do futebol preferem não comemorar a vitória antes do apito final. No entanto, o técnico Vanderlei Luxemburgo seguiu uma lógica diferente antes da decisão do Campeonato Paulista de 2008, entre Palmeiras e Ponte Preta. Na preleção, o treinador distribuiu faixas de campeão e camisetas comemorativas aos jogadores como forma de incentivá-los.

Em entrevista ao canal oficial do Verdão, Luxa relembrou o episódio. No final, o time alviverde saiu com o título ao vencer por 5 a 0 no antigo Palestra Itália, com gols de Ricardo Conceição (contra), Alex Mineiro (3) e Valdivia. A partida de ida havia terminado com triunfo palmeirense por 1 a 0, com tento marcado por Kleber Gladiador.

“Eu perguntei para os jogadores: ‘vocês têm dúvida que nós vamos ganhar o campeonato? Eu não tenho. Eu entrego a faixa de campeão para cada um de vocês. Eu não tenho dúvida de que vamos ganhar o campeonato, que vamos sair daqui campeões. Vocês têm que acreditar nisso aqui porque eu estou dando a faixa para vocês, antecipando que nós vamos ganhar’”, declarou o comandante.

Luxemburgo ainda contou que o mais emocionado com o discurso foi o goleiro Marcos, que vinha sofrendo com lesões nas temporadas anteriores. A conquista do Paulistão foi a última do arqueiro, que se aposentou dos gramados em 2012, com a camisa do Palmeiras.

“Entra no emocional do Marcos muito forte. Ele recebe aquela mensagem minha muito forte e transmite para os jogadores. O Marcos também vinha de derrotas, não pela qualidade dele, mas por desconfiança. Ele estava na reserva do Diego Cavalieri, não vinha jogando. Para ele também foi uma possibilidade diferente e ele me ajudou na palestra”, explicou o treinador.

Luxa também explicou o costume de sair do campo antes do término das partidas, afirmando que tem o intuito de valorizar os jogadores.

“A imprensa, por característica, vai muito no treinador, como se ele fosse a peça mais importante dentro de uma conquista de campeonato. As peças mais importantes são os jogadores. Então, quando você fica ali, a imprensa vai toda em cima de você e não nos jogadores que estão comemorando dentro de campo. Eu criei isso como estratégia de valorizar quem realmente conquista. Nós (técnicos) somos importantes 70% aqui, na trabalho, na preparação. Os jogadores são 70% importantes no jogo, na conquista”, completou.

Futebol