Mano lamenta falta de definição, mas garante Timão ofensivo e com gols

Treinador afirmou que Timão poderia ter matado antes o jogo, na vitória por 2 a 1 sobre a Portuguesa, neste domingo. Ele não quer atacantes marcando laterais rivais

Três anos e meio depois de deixar o Corinthians para assumir a Seleção Brasileira, o técnico Mano Menezes fez sua reestreia pelo clube neste domingo. O Timão venceu por 2 a 1 a Portuguesa, no Canindé, na estreia no Paulistão de 2014, e deixou o novo comandante satisfeito. Apesar disso, alguns sustos no segundo tempo foram motivos de crítica.

– Gostei do primeiro tempo, da maneira como a equipe soube propor o jogo. Trabalhamos isso na parte tática. Temos saber como se propõe o jogo sem dar espaço ao adversário, sair jogando lá de trás, como fizemos bem. Talvez, a única coisa que posso reclamar é que não matamos o jogo no início do segundo tempo. O jogo estava bem aberto. Se tivéssemos matado, não sofreríamos aquela angústia no fim. Ficou lá e cá e não pode ficar lá e cá. É perigoso. O time pode continuar sendo ofensivo, mas com segurança – afirmou o treinador, em entrevista coletiva após o duelo, no gramado do Canindé.

O ponto positivo de Mano foi, justamente, a ofensividade da equipe, que fez boas triangulações. Rodriguinho e Romarinho se deram bem com Guerrero, e Danilo fez boas tabelas com Uendel.

No ano passado, o Corinthians foi muito criticado pela falta de poder ofensivo. No Brasileirão, o ataque fez apenas 27 gols em 38 gols, só à frente do último colocado Náutico. Mano acredita que isso não se repetirá nesta temporada.

– Nós vamos mudar esse histórico porque o Corinthians tem jogadores de qualidade para definição final. Se tiver qualidade para criar, chegar em boa condição, os atacantes que temos vão estar marcando os gols. Isso é o mais importante – disse.

Para provar que pensa em um Timão mais ofensivo, o treinador afirmou que Pato e Guerrero podem atuar juntos, porque no novo esquema haverá dois atacantes mais avançados. Ele não quer estes jogadores acompanhando os laterais adversários, como ocorria com Tite no passado.

– (O Pato) pode jogar com o Guerrero ou na posição do Guerrero. Exatamente por isso optei pela escolha do 4-4-2, dois atacantes como eles podem jogar juntos. Com isso, a passagem do lateral é marcada por um meia. Não tem sentido colocar um atacante e pedir para ele acompanhar o lateral. Ele vai ficar longe do gol, o Pato nem tem essa característica – explicou Mano.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...