Conteúdo por Gazeta Esportiva

Marcelo Teixeira diz que gestão de Peres no Santos “passa de ano no limite”

Presidente Marcelo Teixeira avalia a gestão de José Carlos Peres (Foto: Divulgação/SFC)

O presidente do Conselho Deliberativo do Santos, Marcelo Teixeira, fez uma análise sobre a gestão de José Carlos Peres, atual mandatário.

Teixeira fez algumas críticas e disse que Peres passa de ano por pouco:

“Precisam estudar mais, ter estudo maior para passar de ano. Está no limite. Limite perigoso. Comitê de Gestão tem que agir, sem desculpas, condições. Todos passam dificuldades. Vejo muitas hipóteses, mas poucas ações”, falou o ex-presidente, ao Canal do Nicola.

Marcelo Teixeira se preocupa com a falta de receitas e de investimento em infraestrutura.

“Temos problemas sérios e graves na parte financeira. Resultado negativo nas contas de 2018, em 2019 foi corrigido pela venda de Rodrygo. Precisamos avançar, crescer, medidas devem ser adotadas na questão profissional. Devemos aumentar o potencial de receitas, agir paralelamente para aumento patrimonial, com melhoria em infraestrutura. Santos vai ficando aquém. Tínhamos modelo de centro de treinamento no início do milênio, era exemplo, referência. CT Rei Pelé e Meninos da Vila, atraíamos atletas do Brasil e do mundo para tratamentos. E ficamos muito nesse tempo, não é culpa apenas dessa gestão, tem parcela de contribuição de últimas gestões e me preocupa muito”, avaliou.

“Santos tem suas limitações, agora é pior com a pandemia, com queda de receita. Diretoria tem que agir imediatamente para criar alternativas, serem competentes e capazes. Não dá para lamentar dívidas e processo de pandemia para justificar possíveis insucessos. Conselho faz sua parte e Comitê de Gestão tem que fazer seu processo. Não basta só reduzir 70% dos salários sem diálogo e respeito ao contrato em vigência. Deve haver diálogo para negociação franca. Me preocupa porque pode gerar não só descontentamento, mas também rescisões unilaterais de contrato. Não prevejo isso, tomara que não, mas é possível na esfera trabalhista. Temos problemas graves que devem ser imediatamente corrigidos. Só assim o Santos vai corresponder bem tecnicamente na volta das competições”, completou.

José Carlos, presidente do Comitê de Gestão, e Marcelo Teixeira, presidente do Conselho Deliberativo, possuem mandatos até dezembro.

Futebol