Conteúdo por Gazeta Esportiva

Medel concorda com Messi e diz que juiz paraguaio quis “aparecer”

Atualizado

O zagueiro Gary Medel, envolvido no lance mais polêmico da derrota do seu Chile para a Argentina, neste sábado, na Arena Corinthians, concordou com a avaliação do adversário. De acordo com o atleta, faltou ao árbitro Mario Díaz de Vivar, do Paraguai, mais calma na hora de lidar com a situação que acabou causando o cartão vermelho tanto para ele quanto para o grande astro da partida, Lionel Messi.

“São coisas do futebol, com um amarelo para cada um a situação estaria resolvida”, avaliou Medel, sem as mesmas acusações a respeito de corrupção feitas pelo camisa 10 adversário. Na avaliação do defensor, o juiz quis aparecer demais quando tomou a decisão de expulsá-los.

“Creio que o árbitro quis ser protagonista, errou bastante e não estou de acordo com as decisões que ele teve”, continuou o jogador, que foi apontado por Messi como “um jogador que faz essas coisas”.

O lance se deu aos 36 minutos da etapa inicial. Após proteger a saída da bola, Medel não gostou de um empurrão de Messi e partiu para cima do adversário, acertando peitadas e uma cabeçada no craque do Barcelona. Mesmo com o camisa 10 imóvel, o juiz preferiu dar vermelho para ambos.

“Viemos aqui para ser campeões mais uma vez, mas não foi possível. Ao menos podemos dizer que ficamos entre os quatro, que é algo difícil. Agora vamos tentar seguir em frente”, concluiu o zagueiro, um dos últimos a deixar a zona mista da Arena rumo ao ônibus da delegação chilena.

As duas equipes agora têm alguns meses de descanso, com os atletas retornando aos seus clubes e só atuando outra vez por seus países em setembro. O duelo, aliás, será justamente entre Argentina e Chile, no dia 5 de setembro, nos Estados Unidos, ainda em caráter amistoso. As Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022 começam apenas no ano que vem.

Copa América