Conteúdo por Gazeta Esportiva

Ministério Público pede arquivamento do inquérito do caso Neymar

Atualizado

Em entrevista coletiva na sede do Ministério Público de São Paulo (MP-SP), nesta quinta-feira (8), as promotoras Flávia Merlini e Estefânia Paulin apresentaram as conclusões do inquérito do caso Neymar. As representantes da Promotoria de Justiça de Enfrentamento à Violência Doméstica de Santo Amaro confirmaram o pedido de arquivamento da denúncia de estupro e agressão contra o jogador, feitas pela modelo Najila Trindade, alegando falta de provas.

“O jogador Neymar estava sendo averiguado pela prática de estupro, conforme denúncia feita pela vítima protegida. Após mais de um mês de exaustivas diligências, decidimos pelo arquivamento do processo por não haver provas suficientes do que foi alegado pela vítima protegida”, declarou Flávia Merlini, que teve o posicionamento reforçado por Estefânia Paulin logo em seguida.

A promotora ainda fez questão de esclarecer que o arquivamento não confirma o encerramento do caso. Para a conclusão, ainda há a necessidade de uma decisão judicial. O parecer do MP-SP agora corre para a Vara da Região Sul 2 de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, que pode concordar ou pedir a reabertura do inquérito.

“É importante deixar claro que o arquivamento não implica em absolvição do acusado. Isso porque o arquivamento por falta de provas pode ser reaberto a qualquer momento desde que haja novas diligências ou surjam novas provas”, explicou Flávia.

A conclusão das promotoras está de acordo com a da Polícia Civil. No final do mês de julho, a delegada Juliana Lopes Bussacos, da 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, informou a decisão de não indiciar Neymar pela acusação de estupro e agressão.

Futebol