Ninho de quero-quero gera polêmica em partida da Divisão de Acesso em Itajaí

Um ninho de quero-quero com três ovos foi motivo de polêmica na partida entre o Navegantes Esporte Clube (NEC) e o Pinheiros, de Garopaba, que aconteceu no estádio Hercílio Luz, em Itajaí, válida pela Divisão de Acesso do Campeonato Catarinense. Ainda com a bola rolando, o trio de arbitragem, formado por Cinésio Mendes Junior, Camila Camargo e Thomás Miller da Silva, retirou um ninho com três ovos de quero-quero de um lugar no campo e passou para outro mais seguro.

Zé Rogério/Reprodução RICTV Record

Ninho foi movido de lugar pelos árbitros da partida

Porém, os policiais militares que faziam a segurança da partida perceberam a ação, no fim do jogo conversaram com os três árbitros e os autuaram por crime ambiental. De acordo com um dos policiais, o ato deles fere o artigo 29 da lei contra crimes ambientais nº9605, pois eles não tinham nenhuma autorização para remover o ninho de lugar. Por este motivo, os árbitros tiveram que assinar um Termo Circunstanciado e podem responder judicialmente.

A partida terminou em 4 a 0 para o Pinheiros e, após toda a confusão, o ninho foi colocado novamente no local que estava.

Zé Rogério/Reprodução RICTV Record

Árbitros foram autuados por crime ambiental
Zé Rogério/Reprodução RICTV Record

Ninho do quero-quero foi recolocado no local que estava

Esporte