Norte-americanos levam a melhor no Ironman Florianópolis

Atualizado

Os triatletas dos Estados Unidos foram os destaques no Ironman Brasil 2019, realizado neste domingo (26) em Jurerê Internacional, em Florianópolis. Sarah Pampiano, vice em 2018, voltou ao país para garantir o título com recorde, no tempo de 8h40min48seg – o anterior era de Susie Cheetham (GBR), 8h52min00s – para os 3,8 km de natação, 180,2 km de ciclismo e 42.1 km em 2017.

Andrew Potts cruza a linha de chegada em Jurerê – Divulgação Ironman/ND

Andrew Potts, de 43 anos, completou a prova em 8h02min57seg. Ao todo, 1.500 atletas de 38 países participaram da prova deste ano, confirmando a força da competição mais tradicional do gênero no país.

Os brasileiros também fizeram bonito em Jurerê Internacional. Capixaba radicada em Balneário Camboriú (SC), Pâmella Oliveira, que fez sua estreia no full, terminou em segundo lugar, no tempo de 9h03min46seg.

O gaúcho Frank Silvestrin, por sua vez, terminou em terceiro lugar, com o  tempo de 8h10min19seg, garantindo ainda a inédita vaga para a final do Mundial Ironman, em Kona deste ano, programado para outubro. Igor Amorelli, campeão em 2014 e vice em 2018, não teve um bom dia, terminando em 17º.

Sarah chegou para o Ironman Brasil 2019 com um currículo invejável, com nove títulos da modalidade, além de um vice-campeonato no ano passado. Depois de ficar entre os primeiros na natação ela assumiu a ponta perto do km 90 de ciclismo. Com ritmo forte, ela assegurou a décima conquista da carreira em Florianópolis e nada menos que o quinto melhor tempo da história do  triatlo feminino.

“A atmosfera aqui é muito boa e o clima hoje estava perfeito. Essa é a minha melhor marca da carreira. Foi um dia incrível e poder vencer aqui, com todo esse público apoiando, torna o momento ainda mais especial”, declarou atleta de 39 anos. “Gostaria de parabenizar a Pâmella pelo grande desempenho em sua estreia”, completou a campeã.

Pâmella, que vem de um bicampeonato no Ironman 70.3 Florianópolis, em abril, era só felicidade. “Estou feliz com a minha estreia e com o resultado. Gostaria de ter baixado de nove horas, mas para a primeira vez está excelente. Sei que tenho alguns pontos pra melhorar é isso me motiva para buscar melhores resultados”, disse.

O experiente e incrível Potts

Um dos grandes nomes do triatlo mundial, sete vezes top ten em Kona, brilhou em sua primeira participação no Brasil. O triatleta fez uma disputa acirrada com Igor e William Clarke (GBR), mas chegou a liderança no km 160 do ciclismo para ser o primeiro o cruzar a linha de chegada.

“Que lugar fantástico para correr! Foi uma prova excelente, com o público incentivando o tempo inteiro. É incrível correr com tantas pessoas apoiando e entendendo o verdadeiro espírito do Ironman. Sinto-me honrado em vencer essa prova”, declarou o norte-americano. “Competir no Ironaman é sempre uma experiência única. Você pode largar a mesma prova vinte vezes e serão vinte momentos diferentes. A gente nunca sabe como será a corrida até terminar”, completou.

Silvestrin comemorou antecipado o aniversário – completará 37 anos nesta segunda-feira – com um excelente desempenho. Além de um lugar no pódio, pode comemorar a vaga para Kona. “Estou muito feliz em representar o Rio Grande do Sul. Sabia que alguma coisa boa iria acontecer. Estrear em Kona será tudo de bom”, ressaltou.

Resultados 2019 – Elite

Masculino

1º Andrew Potts  (EUA) – 8h02min57seg

2º William Clarke (GBR) – 8h06min30seg

3º Frank Silvestrin (BRA) – 8h10min19seg

Feminino

1ª Sarah Piampiano (EUA) – 8h40min48seg – recorde

2ª Pâmella Oliveira (BRA) – 9h03min46seg

3ª Bruna Mahn (BRA) – 9h16min55seg

Mais conteúdo sobre

Esportes