Nova meta no marketing do JEC

     Depois de uma semana conhecendo o ambiente de trabalho, Alisson Tovar finalmente foi apresentado pelo Joinville como novo gerente de marketing do clube. O diretor da área, Fernando Mattos, justificou a demora para o profissional ter mais condições de responder aos questionamentos da imprensa. Mattos reforçou as palavras do presidente Marcio Vogelsanger à coluna na semana passada de que a seleção foi criteriosa. Feita a escolha, agora o setor traçou uma nova meta com a contratação de Alisson: melhorar o relacionamento com torcedores, imprensa e patrocinadores. “Precisamos estreitar esta relação e melhorar principalmente a comunicação com o sócio”, confirmou Alisson. Hoje, o Joinville tem 7,6 mil sócios adimplentes, mas poucos acompanham ou sabem quais ações são feitas pela diretoria em favorecimento do associado. O “Clube do Coelho”, por exemplo, que oferece descontos em lojas, farmácias, e restaurantes, é pouco divulgado. “Ainda não soubemos divulgar o Clube do Coelho”, reconheceu Mattos.

Experiência

    Alisson Tovar traz a experiência de ter trabalhado como coordenador do “Sócio Furacão”, plano do Atlético-PR que alavancou para 20 mil o número de sócios do Rubro-negro paranaense. O gerente também trabalhou no Premier Group, que elaborou projetos para busca de novos sócios no Avaí, Fortaleza-CE e América-RN.

Desafio no JEC

   Questionei ao novo gerente qual seria a maior dificuldade neste começo de trabalho. Segundo ele, algumas coisas funcionam no Joinville, mas há necessidade de criar outras. Ele elogiou principalmente a capacidade do clube de atrair sócios. “São poucos os clubes no país que têm 7,6 mil sócios adimplentes.” Entre os desafios, está buscar mais qualidade ao material esportivo sem perder a lucratividade que o JEC tem hoje. Conseguir outras receitas e melhorar o relacionamento completam o quadro de tarefas.

Vai melhorar

 

Carlos Junior/ND

Alisson Tovar (E) e Fernando Mattos planejam novas ações de marketing

 

     Falando em material esportivo, o diretor de marketing Fernando Mattos e o superintendente Osni Fontan garantiram que nos próximos dias serão resolvidos os problemas em relação à qualidade e a quantidade de camisas do Joinville na Toca do Coelho. “Visitamos a fábrica do fornecedor, que comprou um novo maquinário. Amanhã (hoje) devemos receber 300 novas camisas para venda”, assegurou Fernando. Ele ainda disse que o Joinville deve ter 700 camisas por semana à disposição nas duas lojas. Em relação à qualidade – questionada por muitos torcedores – o novo maquinário deve ajudar a fortalecer a costura e as cores da camisa. “Definimos um padrão de cores que deve ser seguido à risca. A partir de agora, teremos mais qualidade”, prometeu Fontan. Na próxima semana, o time profissional deverá vestir as novas camisas de treino e as categorias de base passarão a usar uniforme no mesmo padrão dos profissionais.

 – Fernando Mattos também informou que o Atlético-PR ficou mais longe de aceitar a ideia de jogar a Série B em Joinville. O principal motivo seria o temor de perder sócios. Se aceitasse, o Joinville poderia faturar cerca de R$ 1 milhão em acordos comerciais.

– Basquete de Joinville busca a virada no playoff de quartas de final contra o Limeira-SP, no Centreventos. O duelo deve continuar equilibrado, como se apresentou nos primeiros jogos. Na terça, o Joinville até abriu boa diferença no placar, mas os paulistas reagiram e deixaram o duelo dramático no fim. 

– Na verdade, o técnico José Neto estava absolutamente correto quando apontou a mim e ao repórter Diogo Maçaneiro que a classificação da primeira fase do NBB era, de certa maneira, enganosa. O Limeira-SP poderia estar à frente até do próprio Joinville assim como Franca-SP e o Paulistano-SP deveriam estar em posições intermediárias.

– A prova é de que o Franca-SP abriu 2 a 0 no playoff contra o Paulistano.

LEIA TAMBÉM:

No NDEsporte – Basquete de Joinville tenta a virada na série nesta quinta-feira http://is.gd/qm4fLT


No NDEsporte – Mais mudanças na defesa do JEC? http://is.gd/9YxKPx