O mata-mata de Argel

    “Mata-mata é quem nem Libertadores da América, Copa do Brasil. Neste tipo de duelo, eu sempre preferi jogar a primeira partida em casa.” O desejo de Argel Fucks foi atendido e o Joinville fará o primeiro duelo desta semifinal diante de seu torcedor. Historicamente, o Tricolor tem a maioria de suas conquistas alcançadas fora de casa no segundo jogo. Até mesmo no ano passado, quando conseguiu o acesso à Série B e o título à Série C, o JEC encaminhou os resultados longe da cidade. O torcedor pode não lembrar, mas a campanha do acesso começou numa vitória em casa, diante do Ipatinga-MG, no quadrangular semifinal. E o acesso foi confirmado em Taguatinga (DF). Até mesmo na final da Série C, o 3 a 1 em Maceió (AL) liquidou o CRB-AL. Portanto, este grupo sabe como se comportar em duelos decisivos. Quem sabe, possa aproveitar desfalques importantes do Figueirense (Júlio César é certo e Aloísio e Ygor são dúvidas) para encaminhar a vantagem como fez nas conquistas passadas.

Retrospecto

       Ontem, a coluna lembrou que o retrospecto recente entre Figueirense e Joinville é totalmente favorável ao Alvinegro. Agora, há outra estatística interessante, que favorece novamente os times da Capital: nas últimas vezes em que chegaram às semifinais juntos, Avaí e Figueirense avançaram à final. Aconteceu em 2010 (semifinal do returno e clássico na final) e nas semifinais de 1999 (clássico na final). Mais um tabu para o JEC tentar quebrar a partir de domingo.

O ataque

    Não gostei do desempenho da dupla Bruno Rangel e Alex. Em Florianópolis, contra o Avaí, estiveram em campo juntos durante 66 minutos e o Tricolor não marcou gols. No domingo, mais 76 minutos e nada de gol. O ataque precisa estar afiado no próximo domingo. Atenção rapaziada!

Basquete

     

Carlos Junior/ND

Joinville faz hoje segundo jogo da série contra o Limeira-SP, no Cau Hansen

 

    Acompanhei ontem o último treino do Basquete de Joinville antes da partida de hoje, às 20h, contra o Limeira-SP, a segunda do playoff de oitavas de final do NBB (Novo Basquete Brasil). Apesar dos problemas no interior paulista, o ala/pivô Rashad Bishop e o pivô Shilton estão confirmados para o confronto desta noite. A presença deles, por sinal, é fundamental ao time, que sentiu a ausência da dupla na derrota ocorrida na sexta-feira. Como a coluna apontou na edição de sexta-feira, este playoff não é tão simples como muitos imaginam. O Limeira-SP tem um time experiente e com jogadores decisivos como Benite, Rogério, Ronaldo Ramon, Diego, Deryk, Bambu, entre outros. O próprio técnico José Neto admitiu ontem que tanto Limeira-SP quanto Franca-SP tinham condições de terminarem mais à frente na fase de classificação. O Joinville pode vencer hoje, mas, como disse o pivô Shilton, “precisa querer ganhar mais do que eles.”

– O Clube São Marcos levou o título da Copa São Luís de futebol amador no fim de semana passado. Na decisão, os campeões passaram pela Cerel por 3 a 1.

– Falando em futebol amador, a decisão da Copa Norte começou equilibrada no clássico do bairro Boa Vista entre Estrela da Praia e Tupy. Na primeira partida, placar de 2 a 2 e definição adiada para o próximo sábado. O Estrela segue invicto contra a Tupy. Mas os comandados de Sandro Rodrigues acreditam que será a melhor oportunidade de quebrar este jejum.

– O Taekwondo de Joinville levou três títulos na primeira etapa do Catarinense, realizada em Florianópolis. Coordenados pelo Mestre Adenilson Moreira e pelo professor Cláudio Corrêa, os joinvilenses faturaram 67 medalhas, sendo 36 de ouro, 19 de prata e 12 de bronze. No mesmo evento, aconteceu a segunda seletiva para o Campeonato Brasileiro e Joinville garantiu a classificação de sete atletas. Ótimo desempenho.