Oi Hang Loose Pro Contest começou nesta terça-feira (11) em Fernando de Noronha

Atualizado

O Elétron Energy apresenta Oi Hang Loose Pro Contest, começou na terça-feira de boas ondas e bom público na Cacimba do Padre, em Fernando de Noronha. A comissão técnica aguardou a mudança da maré e a competição só foi iniciada após a terceira chamada do dia, as 15h30min no arquipélago pernambucano. Com isso, só foram realizadas quatro baterias e a segunda metade da primeira fase ficou para abrir a quarta-feira, com a primeira chamada marcada para as 7h30min em Fernando de Noronha, 6h30min no horário de Brasília.

Caio Souza é um dos atletas locais. Foto: Smorigo/WSL 

As principais estrelas desta 15.a edição do Oi Hang Loose Pro Contest no Havaí brasileiro, entram na segunda fase da etapa do QS 5000 de Fernando de Noronha, que começa logo após o encerramento da rodada inicial. O quarto melhor surfista do mundo no ano passado, Filipe Toledo, estreia na primeira bateria e aproveitou a manhã da terça-feira para treinar na Cacimba do Padre. Ele só competiu duas vezes na ilha e a última foi em 2011.

“Acabei de fazer um treino, tem altas ondinhas e é muito especial para mim estar aqui de novo”, disse Filipe Toledo. “Está sendo bem legal, revendo muita gente que eu conheço, vários amigos meus e estou me sentindo em casa. Quero aproveitar esse momento pra fazer um surfe com a rapaziada, curtir muito e tentar fazer um bom resultado. Meu pai já venceu um evento aqui no ano que eu nasci (1995), então espero poder ter uma história pra contar aqui também. Quem sabe, eu consiga vencer o evento também, igual ao papai (risos)”.

Um dos adversários de Filipe Toledo em sua primeira apresentação no Elétron Energy apresenta Oi Hang Loose Pro Contest, é o surfista que tirou a primeira nota 10 na Cacimba do Padre no ano passado, o paraibano Samuel Igo. Os outros são o catarinense Yuri Gonçalves e o norte-americano Luke Gordon, que venceu a primeira bateria da terça-feira em Fernando de Noronha. Ele conseguiu duas notas na casa dos 5 pontos para derrotar dois catarinenses, Icaro Ronchi e Patrick Plachi, que se classificou em segundo lugar.

Luke Gordon. Foto: Smorigo/WSL 

“Eu não conhecia aqui e esse é um dos lugares mais bonitos e mais legais que eu já visitei”, destacou Luke Gordon. “É um dos melhores beachbreaks (fundo de areia) do mundo, sem dúvidas. Acho que não fiz uma boa estratégia na minha bateria, mas consegui passar e estou feliz com a oportunidade de surfar de novo nesse lugar incrível”. Ele também comentou sobre enfrentar Filipe Toledo em sua próxima bateria, nesta quarta-feira: “Wow.. não sabia disso. Vai ser empolgante, então vou quebrar tudo (risos)”.

MELHOR DO DIA – Nas quatro baterias da terça-feira, quem “quebrou tudo” foi o potiguar Madson Costa, que fez os recordes do dia na última do dia. Ele totalizou 13,73 pontos com a nota 7,83 que recebeu na última onda que surfou contra o paulista Geovane Ferreira e o local de Noronha, Caio Souza. Caio é filho de Caia Souza, um dos primeiros surfistas da ilha.

Os dois iam competir juntos pela primeira vez no Elétron Energy apresenta Oi Hang Loose Pro Contest. No entanto, um participante de Barbados e o big-rider carioca, Pedro Scooby, que disputou o Mundial de Ondas Gigantes em Nazaré, Portugal, também na terça-feira, cancelaram suas participações. Com isso, algumas baterias foram alteradas e uma delas foi a segunda, onde eles estavam. Caia também foi eliminado em terceiro lugar na sua, vencida pelo pernambucano Junior Lagosta, que fez o melhor aéreo do dia na Cacimba do Padre.

“Eu vi que na bateria não tava dando tubos, mas consegui fazer um aéreo legal e também encaixei algumas manobras boas para passar para a próxima fase, que era o que eu queria”, disse Junior Lagosta, que também comentou sobre a volta do Oi Hang Loose Pro Contest para Noronha. “Aqui é o Havaí nordestino, brasileiro e eu sou pernambucano, então estou em casa. Essa é a 15.a vez que venho pra cá e só tenho que agradecer a todos os organizadores. Um evento desse traz emprego pra muita gente e é muito importante para o surfe brasileiro, então só temos que agradecer mesmo a todos os envolvidos nesse evento fantástico”.

Junior Lagosta foi um dos destaques do dia. Foto: Smorigo/WSL

LOCAIS DE NORONHA – O paulista Gabriel Adisaka se classificou em segundo lugar nessa bateria, eliminando o local Caia Souza, que participa do Hang Loose Pro Contest desde a estreia do evento na ilha no ano 2000. Seu filho, Caio Souza, de 22 anos de idade, até surfou bem uma onda com manobras potentes, porém não conseguiu a nota que precisava para avançar na bateria que fechou a terça-feira, quando Madson Costa fez os recordes do primeiro dia em Fernando de Noronha.

“No começo eu estava atrás de um tubo, só que não consegui achar e quando eu parti pras manobras, os caras já tinham aberto uma vantagem em cima de mim”, lamentou Caio Souza. “Eu ainda procurei um tubo que não entrou, aí consegui achar uma onda boa no final, mas precisava de outra pra me classificar. Pena que por causa de algumas ausências, eu não pude competir com meu pai, mas fica pro próximo ano, quem sabe, porque seria bem legal”.

ELÉTRON ENERGY APRESENTA OI HANG LOOSE PRO CONTEST:
PRIMEIRA FASE – 3º=97º lugar (100 pts)/4º=105º lugar (40 pts):
1ª: 1-Luke Gordon (EUA), 2-Patrick Plachi (BRA), 3-Icaro Ronchi (BRA)
2ª: 1-Junior Lagosta (BRA), 2-Gabriel Adisaka (BRA), 3-Caia Souza (BRA)
3ª: 1-Kylian Guerin (FRA), 2-Kaue Auzier (BRA), 3-Victor dos Santos (BRA)
4ª: 1-Madson Costa (BRA), 2-Geovane Ferreira (BRA), 3-Caio Souza (BRA)
——-ficaram para abrir a quarta-feira:
5ª: Vasco Ribeiro (PRT), Cauã Costa (BRA), Pericles Dimitri (BRA)
6ª: Thomas Ledee (FRA), Rodrigo Saldanha (BRA), Douglas Silva (BRA)
7ª: Alan Jhones (BRA), Victor Bernardo (BRA), Bernardo Pigmeu (BRA)
8ª: Pedro Costa Bernardi (BRA), Kauê Germano (BRA), Alan Donato (BRA)

SEGUNDA FASE – 3º=49º lugar (US$ 400 e 300 pts)/4º=73º lugar (US$ 300 e 250 pts):
1ª: Filipe Toledo (BRA), Samuel Igo (BRA), Yuri Gonçalves (BRA), Luke Gordon (EUA)
2ª: Marco Giorgi (URU), Marcos Correa (BRA), Patrick Tamberg (BRA), Sidney Guimarães (PRT)
3ª: Weslley Dantas (BRA), Ruben Vitoria (ESP), Santiago Muniz (BRA), Patrick Plachi (BRA)
4ª: Joan Duru (FRA), Bino Lopes (BRA), Mateus Sena (BRA), Junior Lagosta (BRA)
5ª: Jake Marshall (EUA), Jhonny Corzo (MEX), Luan Carvalho (BRA), Gabriel Adisaka (BRA)
6ª: Charly Quivront (FRA), Willian Cardoso (BRA), Brayner Silva (BRA), Yago Vaz (BRA)
7ª: Ian Gentil (HAV), Marco Fernandez (BRA), Pedro Dib (BRA), Edgard Groggia (BRA)
8ª: Luel Felipe (BRA), Luke Dillon (ING), Robson Santos (BRA), Kyllian Guerin (FRA)
9ª: Jessé Mendes (BRA), Renan Peres (BRA), Gustavo Dvorquez (CHL), Kaue Auzier (BRA)
10: Wiggolly Dantas (BRA), Matheus Navarro (BRA), Brian Perez (SLV), Madson Costa (BRA)
11: Miguel Tudela (PER), Joaquin del Castillo (PER), Hizunomê Bettero (BRA), Deyvson Santos (BRA)
12: Miguel Pupo (BRA), Tyler Gunter (EUA), Heitor Alves (BRA), Geovane Ferreira (BRA)
13: Jadson André (BRA), Enzo Cavallini (FRA), Kian Martin (SUE), 1.5
14: Flavio Nakagima (BRA), Lucca Mesinas (PER), Leo Casal (BRA), Ryan Kainalo (BRA)
15: João Chianca (BRA), Rafael Teixeira (BRA), Vitor Ferreira (BRA), 2.5
16: Alonso Correa (PER), Artur Silva (BRA), Roberto Araki (CHL), 1.6
17: Samuel Pupo (BRA), Manuel Selman (CHL), Pedro Neves (BRA), 2.6
18: Nomme Mignot (FRA), Marc Lacomare (FRA), Bryan Picon (FRA), Dunga Neto (BRA)
19: Alejo Muniz (BRA), Ramzi Boukhiam (MAR), Alex Lima (BRA), Felipe da Silva (BRA)
20: Gatien Delahaye (FRA), Noe Mar McGonagle (CRI), Igor Moraes (BRA), 1.7
21: Maxime Huscenot (FRA), Marco Mignot (FRA), Fernando Junior (BRA), 2.7
22: Ian Gouveia (BRA), Andy Criere (ESP), Luan Wood (BRA), 1.8
23: Lucas Silveira (BRA), Thiago Camarão (BRA), Mason Ho (HAV), Noe Ledee (FRA)
24: Yago Dora (BRA), Eduardo Motta (BRA), Guillermo Satt (CHL), 2.8

Surfe