Paulinho se emociona e vê derrota ‘mais difícil’ de aceitar do que 7 a 1

 Brasil x Belgica - AFP
Brasil x Belgica – AFP

Na saída dos jogadores da Seleção Brasileira do campo, logo depois da derrota por 2 a 1 para a Bélgica que eliminou o time nas quartas de final da Copa do Mundo, foi possível ver abatimento. Logo depois de um longo tempo nos vestiários, Paulinho foi além: se emocionou, claramente contendo as lágrimas, e disse ser mais difícil lidar com a queda na Rússia do que com o 7 a 1 sofrido diante da Alemanha, nas semifinais de 2014, no Mineirão.

Durante sua entrevista para emissoras de televisão credenciadas para transmitir o Mundial, Paulinho não conteve a emoção exatamente ao ouvir sobre a comparação com a derrota de quatro anos atrás. Passou a procurar palavras para mostrar que o fim do sonho do hexa agora é mais difícil.

– Para mim… Claro que as duas foram difíceis, a de 2014 muito complicada, mas a de agora está sendo mais… mais difícil. Mas vamos seguir – disse o meio-campista, apontando como principal diferença para sentir mais a derrota para a Bélgica o fato de a equipe ter se empenhado até o fim (contra a Alemanha, o primeiro tempo ficou 5 a 0).

– Talvez pela forma que saímos, de estar lutando até o último segundo, o tempo inteiro em cima deles. Faz parte. (Eu me emociono) Pela forma que saímos. A confiança era muito grande, da nossa parte e do torcedor. Todos estavam muito confiantes. Depois da segunda partida da Copa do Mundo, entrando no nosso nível, depois já estivemos mais soltos na terceira partida, jogamos bem contra o México e fizemos uma excelente partida hoje – indicou.

– Vem pelo nosso grupo, nosso staff e, depois, da nossa família, dos nossos filhos que estavam aqui torcendo. É complicado, difícil. Mas tem de assimilar e aceitar de cabeça erguida – prosseguiu o jogador do Barcelona.

Esporte