Conteúdo por Gazeta Esportiva

Pedro minimiza assédio de outros clubes e jejum de gols

Atualizado

Atacante ainda comentou sobr a chegada de Lucão e rumores de Fred. (Foto: Lucas Merçon/FFC)

Um dos destaques vindo das categorias de base do Fluminense, o atacante Pedro se recuperou de uma grave lesão no joelho e vem sendo ventilado em clubes da Europa. Mesmo com o assédio, o jogador ressaltou que seu foco é somente dentro de campo.

“Futebol é muito dinâmico. Não dá para prever muita coisa. Eu penso muito no dia a dia. Não penso muito no que vai acontecer. Tenho que dar sempre meu melhor. As coisas se tiverem que acontecer, acontecem naturalmente. Sou um cara muito tranquilo quanto a isso. Não ligo muito para o que falam nas matérias, sei o que rola de verdade. Sempre fui focado somente em jogar futebol, em treinar e trabalhar para dar o melhor para o Fluminense. Essas coisas extracampo eu deixo para meus empresários e para o presidente resolverem”, disse.

Pedro voltou no meio desta temporada após se recuperar de uma grave lesão no joelho. Mesmo assim, o atacante manteve seu bom desempenho, mas convive com um jejum de gols. O centroavante destacou que entra em cada partida com mais vontade de marcar, mas com tranquilidade para ajudar a equipe.

“Todo jogo entro com fome de gols. São quatro jogos sem marcar, mas estou ajudando a equipe, dando meu melhor. Espero poder marcar contra o Atlético-MG. Não posso ficar ansioso, se não as coisas não acontecem. O gol sempre vai sair naturalmente, como sempre foi. Estou feliz em voltar a ajudar a equipe, jogar 90 minutos”, declarou.

O atacante falou sobre a chegada de Lucão, que será mais uma opção para o técnico Fernando Diniz para o setor.

Sempre chegará jogador para acrescentar, para agregar. É sempre bom ter mais opções para jogar, para entrar no ataque. O Lucão vem para agregar ao grupo. O presidente é que tem responder isso”, comentou.

Por fim, Pedro também foi questionado sobre uma possível volta de Fred ao clube.

“O Fred é um ídolo para mim. Um cara que me ajudou muito quando subi para o profissional. Não sei como está a situação. Se ele voltar, vai ser muito bem recebido aqui no Fluminense e vai ser feliz. Vi ser bom para a gente, bom para o clube”, finalizou.

Mais Esportes