Conteúdo por Gazeta Esportiva

Peres diz que jovem zagueiro do Santos é uma sensação: “Todos querem comprar”

Santos pode negociar Jackson Porozo (Foto: Reprodução/Twitter)

O presidente do Santos, José Carlos Peres, revela o assédio recebido por clubes do exterior em busca do equatoriano Jackson Porozo.

O zagueiro de 18 anos nem estreou pela equipe profissional, mas foi titular do Equador no Mundial Sub-20, na campanha da histórica terceira colocação, e será difícil segurá-lo no Brasil no segundo semestre.

“Teve polêmica, falaram que era esquema… Agentes ligam da Itália e todos querem levar. E nem vestiu a camisa principal do Santos ainda. Porozo é uma sensação, todos querem comprar. Temos várias propostas, ficamos até com pena, nem vestiu a camisa e já querem levar”, disse Peres, ao “Peixecast”, podcast do Santos no Spotify. 

A “polêmica” citada por José Carlos Peres ocorreu logo após a contratação, em março de 2018. A diretoria precisou rever o acordo depois de denúncia do Conselho Fiscal. A princípio, o Santos combinou de pagar R$ 1,5 milhão por 80% dos direitos econômicos e deixar 20% com o Manta (EQU), além de lucro de 30% à empresa Hi Talent. Ou seja, comprometer 50% de uma futura venda.

Um dos fundadores da Hi Talent é Ricardo Crivelli, o Lica, coordenador das categorias de base afastado por acusação de abuso sexual. O profissional se retirou da sociedade em junho de 2015, substituído por Eduardo Brito de Melo, que, como apontado por relatório do Conselho Fiscal, tinha como endereço residencial o mesmo de Lica. Ele era sócio do presidente Peres em outra empresa, a Saga Talent. A firma foi encerrada no ano passado, com baixa registrada em 23 de maio, depois do assunto ser amplamente divulgado na imprensa.

O Peixe alegou que as cláusulas eram de um pré-contrato e renegociou o acordo para 80% a si e 20% ao Manta, sem a Hi Talent. O vínculo vai até 8 de agosto de 2020.

O Alvinegro não quer perder Jackson Porozo, mas sabe da dificuldade de utilizá-lo no segundo semestre. Além da concorrência na defesa, o limite de cinco estrangeiros por partida é empecilho. Uma saída pode ser emprestá-lo a algum clube europeu. 

Futebol