Conteúdo por Gazeta Esportiva

Peres promete cordialidade na provável volta de Rollo ao Santos

Orlando Rollo deve voltar à vice-presidência do Santos (Foto: Pedro Azevedo/SFC)

O vice-presidente Orlando Rollo deve voltar ao cargo após 10 meses de licença. O Conselho Deliberativo do Santos “liberou” o seu retorno durante reunião na última terça-feira, na Vila Belmiro.

Desafeto de Rollo, o presidente José Carlos Peres promete cordialidade com seu vice após inúmeras críticas públicas.

“Ele terá, como sempre, o direito de participar das reuniões do Comitê de Gestão. Nenhuma novidade. Eu disse para a Comissão de Inquérito e Sindicância que acataria a volta dele como integrante do CG, sem nenhuma função no clube como determina o estatuto, onde apenas o presidente tem atividade executiva. E assim será”, disse Peres, à Gazeta Esportiva.

Rollo pediu licença do cargo em janeiro deste ano. Uma das justificativas foi discordar de uma portaria do presidente José Carlos Peres, limitando suas funções em setembro de 2018.

A Comissão de Inquérito e Sindicância avaliou o caso e declarou a portaria como ilegal, descumprindo o Estatuto Social. A punição sugerida foi de advertência. O Conselho não aprovou e pediu para a CIS reavaliar por causa da ausência de uma defesa por escrito de Peres, dando margem à paralisação do processo via liminar.

Os conselheiros, porém, concordaram com a ilegalidade da portaria. O vice-presidente agora terá de se posicionar sobre voltar ou se afastar de vez.

“Sobre a portaria ilegal emitida pelo senhor José Carlos Peres retirando as minhas atribuições estatutárias de vice-presidente, e consequentemente o meu retorno às minhas atribuições, tenho a dizer que pretendo seguir as determinações estatutárias e a decisão soberana do egrégio Conselho Deliberativo. Entretanto, aguardo ser notificado oficialmente sobre os termos e condições do meu retorno”, disse Rollo, à Gazeta Esportiva. 

Relator da Comissão de Inquérito e Sindicância, José Rubens Paixão Passos aconselhou Rollo a retornar e prometeu cobrar José Carlos Peres pessoalmente se continuar limitando seu trabalho.

“(Peres) falou que era amigo do vice-presidente, que falou recentemente por telefone. Que tinha dado esporte olímpico, futebol feminino e segurança. E que não tinha nada contra ele. Não dá para (a comissão) inventar palavras no depoimento. Se o vice-presidente Rollo assumir, ótimos companheiros darão respaldo perante ao presidente. Companheiros leais estarão com ele quando voltar”, disse José Rubens.

Baseado no parecer da CIS, a portaria de Peres foi cassada, as obrigações previstas no estatuto foram restituídas, assim como o acesso ilimitado ao clube e a documentos, além do desbloqueio do e-mail corporativo.

Futebol