Piorou o ruim: sob o comando de Evando, Avaí zera chance de fuga do Z4

Atualizado

O Avaí se reapresentou na tarde desta quinta (7), no estádio da Ressacada, para dar início ao trabalho de olho na próxima rodada da Série A. O Leão encara o Botafogo, na próxima segunda, em duelo que marca o reencontro com o ex-técnico Alberto Valentim e pode, dependendo do resultado, carimbar o rebaixamento azurra à Série B.

Evando Camillato, após a derrota para o Santos, na Série A 2019 – Foto: Diogo de Souza/ND

A verdade é que o Avaí já caiu para a segundona e o que mantém o representante da capital vivo é a frieza dos números.

Leia também

O discurso adotado pelo técnico Evando Camillato segue essa linha uma vez que, na coletiva após da derrota para o Santos por 2 a 1, falou em “time muito forte” para a próxima temporada.

“O torcedor do Avaí pode ter certeza, já estamos trabalhando muito forte para o ano que vem termos um time muito forte, com a cara do Avaí”, prometeu o comandante que, conforme adiantado pela direção, não seguirá a frente do time principal em 2020.

Piorou o que estava ruim

A campanha do Avaí era ruim sob os cuidados de Alberto Valentim que conseguiu melhorar, um pouco, o que fora iniciado por Geninho.

Na coletiva de despedida do atual técnico do Botafogo, ao ser questionado,  afirmou que, aquela altura, na 24ª rodada, o Leão da Ilha ainda que timidamente almejava a saída da zona do degola.

Com Alberto Valentim o Avaí fez 15 jogos com 3 vitórias, 4 empates e 8 derrotas, sendo 9 gols marcados e 25 gols sofridos. O aproveitamento da equipe, então na 19ª colocação, era de 28,8%.

De lá para cá, no entanto, esse desempenho que já era ruim despencou com o técnico Evando. Foram sete jogos e sete derrotas sendo 3 gols marcados e 13 gols sofridos.

Os números de Evando são ainda piores que o de Geninho que começou a Série A e fez 9 jogos, 4 empates e 5 derrotas com 4 gols marcados e 11 sofridos, totalizando 14%.

Avaí desfalcado para a próxima rodada

Na próxima segunda, no reencontro com Alberto Valentim em duelo com o Botafogo, no Rio de Janeiro, o técnico Evando Camillato terá que mudar o time, mais uma vez.

Richard Franco, paraguaio de boa atuação contra o Santos, tomou o terceiro amarelo e está fora do confronto. Léo, o lateral-direito, foi expulso no final da partida e também não viaja para o Rio de Janeiro.

Richard Franco, em duelo diante do Santos, na Ressacada, na Série A 2019 – Foto: Frederico Tadeu/Avaí FC/divulgação

A lateral-direita terá que contar com improviso já que Iury, que é outro jogador da função, passou por procedimento cirúrgico no joelho e volta só em 2020. Lourenço, atacante que atuou por ali em várias oportunidades ao longo da temporada, também está machucado e não poderá entrar em campo.

Essa lista ainda junta-se aos lesionados: afora Iury, Daniel Amorim também não volta até o final da temporada. Jonny Mosquera, Douglas e Caio Paulista, todos machucados, também não viajam.

O grupo se reapresenta nesta sexta-feira (8) onde segue o trabalho de preparação, de olho no duelo marcado para o fechamento da rodada 32.

Futebol