Conteúdo por Gazeta Esportiva

Premiado, Alves desabafa: “Apanhamos muito e estava doendo”

Atualizado

O lateral direito Daniel Alves foi premiado como o melhor jogador da Copa América em seu 40º título na carreira – o quarto com a Seleção Brasileira. Algoz do Peru na final deste domingo, ainda no gramado do Maracanã, o capitão da Seleção Brasileira lembrou as críticas recentes recebidas pelo time e, em seguida, tratou de afagar a torcida.

“O reencontro com Maracanã é sempre especial. É nossa casa e estávamos muito determinados a jogar aqui, mas tínhamos que ir passo a passo. Apanhamos muito e estava doendo, sinceramente. Sabíamos que precisávamos dar uma resposta positiva e isso foi feito”, declarou.

Durante a campanha rumo ao título da Copa América, a Seleção Brasileira foi vaiada nos confrontos com Bolívia, Venezuela e até Paraguai. Daniel Alves chegou a alfinetar o público pela reação, mas, com o título devidamente conquistado, falou em tom diplomático.

“Quero agradecer à torcida. Hoje, conectou com a gente e é muito especial quando construímos algo juntos. No dia de hoje, só queríamos isso: construir algo junto com eles, que pudessem desfrutar e comemorar esse título. Podíamos dar um grande presente e acredito que acabamos conseguindo”, afirmou.

Aos 36 anos de idade, com passagens por clubes como Barcelona, Juventus e Paris Saint-Germain, Daniel Alves comemora neste domingo o 40º título de sua bem-sucedida carreira. Homem de confiança de Tite, ele não deixou de exaltar a comissão técnica.

“Parabéns para nossa comissão. Eles trabalham muito, são muito dignos e muito merecedores de tudo isso”, afirmou o lateral direito, dono da tarja de capitão. “O capitão do nosso barco é o Tite, não sou eu. Não é nenhum jogador”, acrescentou o veterano.

Copa América