Presidente da Chapecoense renuncia ao cargo

Atualizado

Plinio David De Nes Filho renunciou ao cargo de presidente da Chapecoense. Com a decisão, Paulo Magro — então dirigente em exercício — segue à frente do clube de forma oficial.

Plinio David De Nes Filho – Foto: Sirli Freitas/Chapecoense

Magro confirmou a saída de Maninho na noite de quinta-feira (31), após reunião do Conselho Deliberativo da Chape. Ele estava afastado do cargo desde agosto deste ano.

“Ele nos comunicou que no máximo terça-feira vai apresentar a carta de renúncia, mas já disse que está fora do administrativo”, disse Paulo Magro, à Rádio Chapecó. 

Leia também:

Apesar do afastamento da administração do clube, Maninho se comprometeu em ajudar a Chape. “A nosso pedido vai continuar ajudando na captação de recursos, até porque está com dois processos que segundo ele estão avançados”, destacou Magro. 

Afastamento 

A Chapecoense anunciou o afastamento de Maninho em 23 de agosto até o dia 31 de outubro. Em nota, o clube disse que o dirigente iria “focar suas ações na busca de solução dos problemas de receita e na representação institucional junto à CBF”. 

Marinho foi eleito presidente da Chape por aclamação em dezembro de 2017, duas semana após o acidente aéreo na Colômbia. Ele assumiu o cargo do então dirigente Sandro Pallaoro vítima da tragédia. No ano seguinte foi reeleito com 134 votos. 

Futebol