Conteúdo por Gazeta Esportiva

Presidente do Santos acusa Rollo de ‘golpe’: “Uma das páginas mais negras”

Peres lamenta tentativa de golpe no Santos (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

O presidente do Santos, José Carlos Peres, concedeu entrevista coletiva na noite desta segunda-feira, na Vila Belmiro, após o retorno de Orlando Rollo.

O vice-presidente retornou ao Peixe como presidente em exercício durante a suspensão de Peres por 15 dias, criticou a gestão e tenta mudar o Comitê de Gestão.

“Uma das páginas mais negras do Santos numa tentativa de golpe. Ele é vice-presidente do Comitê de Gestão, por isso vai comparecer a cada 15 dias ou toda reunião. Terá direito a voto, direitos são esse, não são de permanência na Vila Belmiro. Não tem atividade administrativa para ter sala e despachar. Passou um ano fora e viria para integrar, seria bem-vindo, se não fosse mais uma atitude assim”, disse Peres.

“(Rollo) invadiu o Santos com 25 ou 30 pessoas. Dessas 30 pelo menos umas 15 têm processo trabalhista contra o clube. Lamentamos muito e o próprio Orlando Rollo foi testemunha nesses casos. Peguei 15 dias de punição, não vou transgredir, vou cumprir. Não devo assinar papel com ação esportiva, transferência, inscrição, seja do amador, base, feminino ou profissional. Em 15 dias não poderei assinar, isso pode ser feito pelo Comitê de Gestão. Ações administrativas, financeiras, jurídico, marketing, nisso tudo posso trabalhar. Fomos tomados de assalto, pessoas não deveriam entrar no clube. Foi mais uma transgressão ao estatuto. Fomos notícias em todos os jornais. Recebi vários telefonemas de presidente de clube indignados. Peço desculpa aos sócios pelo que o clube sofreu. Todos estão tristes pela página negra que tentaram escrever. Tentando um golpe por 15 dias. Não é gestão inteira, por 15 dias não justificava esse terrorismo. Agradeço nossos funcionários pela lealdade ao Santos”, completou.

O presidente do Alvinegro também falou sobre uma conversa com o superintendente Paulo Autuori para não deixar a política interferir no campo.

“Vindo para Santos passei no CT para conversar com Autuori. Está muito tranquilo. Fiz até um pedido para que isso não chegasse até os jogadores. Portões estão trancados, evitamos acesso. Até para evitar qualquer tipo de perda de foco. Focamos no Campeonato Brasileiro, temos chance do vice-campeonato e até do campeonato. Clube vem numa ascensão. Nessa semana Paulo terá reunião com Sampaoli para definir situação dele e talvez eu até participe. Se ele achar necessário, vou com maior prazer”, afirmou o presidente.

“Punição é só esportiva, administrativo eu toco. Para ele entrar como presidente eu morro, fico doente ou sou impedido por algo que eu não espero”, concluiu.

Futebol