Conteúdo por Gazeta Esportiva

Ramiro vê recuo do Corinthians como força do hábito pela época com Carille

O Corinthians voltou a repetir o problema já apresentado na vitória sobre o Fortaleza. Nesse sábado, contra o Palmeiras, depois de um bom primeiro tempo, o Timão recuou na etapa final e sofreu bastante até o fim.

Nem os jogadores nem Dyego Coelho deixaram de admitir que a questão tem relação com cansaço, mas Ramiro chamou atenção para um ponto: a maneira viciada do time jogar pelo tempo que Fábio Carille comandou o grupo em 2019.

“Tem um pouco a parte física, que muda um pouco, mas, na minha opinião, a gente acaba retomando, no automático, o que fez nos últimos 10 meses. Tu (sic) acaba cansando e acaba indo para o que acha mais seguro, que é aquilo que você jogou nos últimos meses. Temos de estar sempre concentrados, tem muito pouco tempo de trabalho, acaba esquecendo e voltando à moda antiga, que é mais recuado, com a gente vinha jogando”, explicou.

Autoestima

Júnior Urso também falou sobre a postura implantada por Coelho. O volante ressaltou a mudança de comportamento dos atletas, em campo, e revelou a recuperação da autoestima.

“De repente essa confiança tinha sumido. Resgatamos isso, hoje os jogadores do Corinthians estão incorporando melhor essa ideia de representar o Corinthians”, explicou.

“A gente tem um elenco muito bom, nunca deixei de acreditar nisso. Faltava, de repetente, pôr isso na cabeça, que somos bons jogadores”, concluiu.

Futebol