Record TV e Record News atingem números expressivos de audiência com transmissões do Pan

Atualizado

A ampla cobertura jornalística dos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019 realizada pelas emissoras Record TV e Record News atrai um público qualificado e significativo durante a exibição das diversas modalidades de esportes.

Emoções do boxe foram transmitidas ao vivo pela Record TV e Record News – Reprodução Record TV

Essa é a terceira vez que a Record faz a transmissão dos Jogos Pan-Americanos. Segundo levantamento do Kantar Ipobe Media*, ambos os canais alcançaram 95 milhões de telespectadores nos 12 primeiros dias de exibição do Pan, entre 24 de julho e 4 de agosto, em todo o território nacional.

Desse total, 76 milhões foram atingidos pela Record TV em quase 40 horas de cobertura; e outros 19 milhões pelas mais de 135 horas de transmissão da Record News. Até domingo (4), foram 30 modalidades em mais de 175 horas dedicadas à transmissão dos Jogos nos dois canais.

Já através da RICTV Florianópolis foram alcançados até então mais de 700 mil telespectadores e mais de 50% dos domicílios acompanham o Pan na Grande Florianópolis, cuja área de cobertura abrange até o Sul do Estado.

Para o diretor regional Florianópolis do Grupo RIC, Roberto Bertolin, o destaque fica por conta da ampla cobertura jornalística dos Jogos Pan-Americanos feita pelos canais Record TV e Record News. “A grande cobertura dá visibilidade ao esporte olímpico brasileiro e atrai uma audiência que gosta de acompanhar os esportes. Além disso, a competição é uma grande oportunidade para os atletas olímpicos e a Record valoriza isso”, afirma.

* Fonte: Kantar Ibope Media – Media Workstation Premium Gde Florianópolis Cov% individual e domiciliar Jogos Pan Americanos. Cov% individual projetado para a área de cobertura da RIC TV Florianópolis (2.281.590)

Brasil já soma 22 vagas olímpicas conquistadas no Pan

O Brasil é o país com o melhor aproveitamento de vagas olímpicas no Pan até o momento. Em Lima, a delegação nacional já conquistou 22 vagas para a Olimpíada de Tóquio 2020, o maior número absoluto entre as 41 nações participantes do Pan, à frente até dos Estados Unidos.

Das vagas que um comitê olímpico nacional poderia conquistar até o momento, o Time Brasil obteve 34,38%, à frente dos Estados Unidos (13 vagas e 20,31%) e Canadá (11 vagas e 17,19%). Até o fim do Pan serão distribuídas 175 vagas olímpicas, mas um mesmo país poderá obter no máximo 145.

O aproveitamento do Brasil só não é maior porque o time masculino de handebol acabou perdendo a semifinal para o Chile e ficou fora da decisão pela primeira vez desde a edição de 1987, quando acabou na terceira posição. Outra frustração veio no tiro esportivo com Julio Almeida, na prova de pistola de ar 10m. O brasileiro liderava até o 20º de 24 tiros, mas errou a mira no final e acabou ficando na terceira posição — só os dois primeiros têm vagas garantidas em Tóquio.

Em algumas modalidades, como vôlei e vôlei de praia, o COB (Comitê Olímpico do Brasil) aceitou não ter seus melhores atletas no Pan 2019 porque as vagas olímpicas são disputadas em outras competições. A estratégia deu certo e a seleção feminina de vôlei carimbou sua vaga no Pré-Olímpico e agora está no Pan com um time mesclado.

Atletismo e natação devem alavancar desempenho do Brasil

O Pan entra em sua última semana reservando grandes emoções para o Time Brasil, que busca mais medalhas até o último dia de competições, domingo (11). O Comitê Organizador programou as disputas de atletismo e natação, modalidades com mais provas em todo o evento, para as mesmas datas: 6 a 11 de agosto.

No caso do atletismo, que já teve a maratona e os 20 km da marcha atlética, estão previstas outras 44 provas, enquanto a natação terá 36. “Nessas modalidades, o Brasil está trazendo o que temos de melhor no momento, de acordo com a estratégia das confederações e o planejamento do COB. A natação chega do Mundial com um time bem interessante, e o atletismo busca um resultado superior ao que alcançou em Toronto, com alguns jovens se destacando no cenário internacional, como Paulo André e Alison Brendom, fora o Thiago Braz, que é campeão olímpico”, disse Jorge Bichara, diretor de Esportes do COB.

Além de atletismo e natação, outras modalidades conhecidas por distribuírem muitas medalhas serão disputadas nos últimos dias do Pan: judô, karatê, remo, tênis de mesa e vela, entre outras, com boas chances para o Brasil. “O Brasil obteve vários resultados importantes na primeira semana do Pan, dentro das nossas expectativas”, destacou Marco Antônio La Porta, vice-presidente do COB e chefe de missão em Lima 2019.

Mais conteúdo sobre

Pan 2019