Conteúdo por Gazeta Esportiva

Relembre como foi a carreira do recém-aposentado Diego Forlán

O uruguaio Diego Forlán anunciou sua aposentadoria dos gramados nesta quarta-feira, colocando ponto final em uma brilhante e vitoriosa carreira de 21 anos.

A notícia não pegou ninguém de surpresa. Aos 40 anos e atuando longe dos principais centros futebolísticos desde a sua saída do Peñarol, seu time de coração, em 2016, já era esperado que não demoraria para isso acontecer. O camisa 10 encerrou sua trajetória atuando pelo Kitchee Sports, de Hong Kong.

Em sua carreira, Forlán foi destaque da grande campanha da seleção do Uruguai na Copa de 2010. Além de melhor jogador e um dos artilheiros da competição com cinco gols, o atleta foi peça fundamental na conquista do quarto lugar.

Com a camisa celeste foram 36 gols em 112 partidas, além do título da Copa América de 2011 e o quarto lugar na Copa das Confederações de 2013. Um ídolo pela sua garra, talento e entrega.

Por clubes, atuou em três continentes. Apareceu para o futebol mundial no Independiente, da Argentina, ficando entre os anos de 1997 e 2002. Se transferiu para o Manchester United, no qual conquistou o Campeonato Inglês, na temporada 2002/2003, a Copa da Inglaterra, na temporada seguinte, e a Supercopa da Inglaterra, em 2003.

Na Espanha, atuou pelo Atlético de Madrid e Villarreal, considerado ídolo em ambas equipes. Com o time da capital levantou uma Liga Europa na temporada 2009/2010 e uma Supercopa da Europa em 2010.

Forlán ainda passou pela Itália, na Inter de Milão, antes de seguir os passos do pai e vir jogar no Brasil. Filho de Pablo Forlán, ídolo do São Paulo, Diego jogou com a camisa do Internacional de julho de 2012 até janeiro de 2014, conquistando um Campeonato Gaúcho como artilheiro em 2013. Marcou 22 vezes em 55 partidas no Colorado.

Seu desejo de trilhar o mesmo caminho do pai não era novidade. Após o Mundial de 2010, o goleador expressou sua vontade de vestir a camisa do São Paulo. “Sou tricolor, ainda quero jogar uns anos lá”, disse em entrevista. Apesar de muito especulado, nunca teve nada concreto entre as partes.

Depois de sair do sul, teve uma passagem pelo Japão, antes de ir para o Peñarol e fechar o ciclo em Hong Kong.

Futebol