Conteúdo por Gazeta Esportiva

Revezamento 4x100m do Brasil recebe bronze de Pequim 2008

Atualizado

A equipe brasileira que disputou a final do revezamento 4x100m nas Olimpíadas de Pequim, em 2008, enfim, recebeu sua medalha de bronze. Nesta quinta-feira, Bruno Lins, José Carlos Moreira, Sandro Viana e Vicente Lenilson participaram da honraria no Museu Olímpico, na cidade de Lausanne, na Suíça.

O Brasil herdou a medalha de bronze na final do revezamento 4x100m depois de Nesta Carter, atleta jamaicano, ser flagrado em exame antidoping posterior aos Jogos Olímpicos de Pequim. Desta maneira, a medalha de ouro da Jamaica passou para Trinidad & Tobago, que havia ficado com a Prata. O Japão, consequentemente, ficou com a prata, e o time verde e amarelo com o terceiro lugar.

“É uma sensação maravilhosa, inexplicável, medalha olímpica é diferente de tudo. Fiquei congelado ali em cima na hora de receber a medalha. Agradeço muito ao Comitê Olímpico do Brasil, à Confederação Brasileira de Atletismo que também fazem parte disso. Essa medalha não é só minha, é do Brasil, da minha família, dos meus treinadores, de todos que estiveram comigo até esse momento. Simplesmente desejo a todos os atletas que se dediquem, que treinem, que deem o seu melhor para chegar a um momento como esse, épico e único”, ressaltou José Carlos Moreira, conhecido como Codó, nome de sua cidade de nascimento.

Time brasileiro recebeu as medalhas de bronze em Lausanne, na Suíça (Foto: Christophe Moratal/COI)

Muito aplaudidos pelas cerca de 100 pessoas presentes ao Museu Olímpico, o quarteto brasileiro se emocionou com as medalhas finalmente no peito.

“A ficha não tinha caído ainda. Depois que colocaram a medalha, eu a olhei, passou um filme na minha cabeça e as lágrimas vieram. Foi um choro de felicidade, de ser reconhecido como um medalhista olímpico. Pequim 2008 foi minha primeira participação em Jogos, foi especial e único. Gostaria de agradecer a todos os brasileiros que sempre torceram por nós. É um momento mágico na nossa vida. Agora somos, realmente, medalhistas olímpicos, finalmente com nossa medalha em mãos”, comemorou o alagoano Bruno Lins.

Com a medalha do revezamento 4x100m masculino, o Brasil passa a ter 17 pódios nos Jogos Olímpicos de Pequim. Esta também é a 17ª medalha olímpica do atletismo nacional na história.

“Tudo que eu fiz foi me dedicar ao esporte nos últimos 20 anos. Quando saí de Manaus, vendi tudo para me tornar um atleta. Só pensava em fazer o meu melhor todos dias até chegar aos Jogos Olímpicos. Quando tive contato com o universo olímpico, minha vida mudou. De lá pra cá, a única coisa que eu fiz foi cultivar o esporte olímpico da melhor maneira possível, através do meu exemplo de vida. Já era um atleta muito satisfeito, muito realizado com o quarto lugar. E quando veio essa notícia, tudo mudou na minha vida. Veio uma explosão de emoções onde passado, presente e futuro acabaram se misturando”, revelou Sandro Viana, o mais experiente da equipe, com 42 atualmente.

Mais Esportes