Reviravolta no caso Denis: Justiça cassa liminar e atleta precisa se explicar em dez dias

Atualizado

O goleiro Denis tem dez dias para justificar sua saída do Figueirense. A decisão foi publicada nesta quarta-feira (14) e assinada pela desembargadora Lilia Leonor Abreu, do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) da 12ª Região. A magistrada acatou um mandado de segurança impetrado pelo Figueirense Futebol Clube e o Figueirense Futebol Clube Ltda. que alega “prejuízo” e “risco” para o planejamento do clube no restante da temporada. A decisão cabe recurso.

Leia mais

Entre as justificativas trazidas pelo Furacão está um suposto “risco” de colocar fora “todo o planejamento do clube para 2019, ao passo que o autor da ação ocupa a posição de goleiro titular” e “peça importante” no elenco.

Denis foi apresentado em Portugal e, inclusive, já estreou – Reprodução/Facebook

A desembargadora ainda cita a justificativa dos impetrantes onde alegam prejuízo pelo fato do atleta ter assinado com o Gil Vicente (POR), pois “nada recebeu com essa transferência”.

Sendo assim, a liminar cassa a decisão proferida em tutela de urgência pela 5ª Vara do Trabalho de Florianópolis que decretou, ainda no final do mês de julho, uma antecipação de tutela e a rescisão unilateral do contrato do goleiro com o clube. Na ocasião, Denis, ao acionar o Figueirense, comprovou o não recolhimento do FGTS desde abril de 2018 além da falta de 13º, férias e outras bonificações.

Atletas não concentram

A turbulência no Figueirense se mantém. Após o treinamento desta quarta-feira, que fechou a preparação para o duelo contra a Ponte Preta, no estádio Orlando Scarpelli, os atletas optaram por voltarem as suas casas e, mais uma vez, não concentrarem. O manifesto acontece em virtude do atraso dos vencimentos referentes a julho, além de todas as lacunas financeiras deixadas das temporadas anteriores.

A apresentação dos atletas está marcada para o meio-dia desta quinta.

Mais conteúdo sobre

Futebol