Ricardo Oliveira vira exemplo para quem defende a volta de Lugano

Conselheiros do São Paulo e até mesmo o volante Wesley citaram o centroavante do Santos, maior artilheiro da temporada brasileira, para minimizar idade do uruguaio

Divulgação

Bruno Grossi

São Paulo (SP)

Os defensores do retorno de Diego Lugano ao São Paulo têm usado o maior algoz do clube na temporada para minimizar a desconfiança sobre a idade do uruguaio. Aos 35 anos, mesma idade do zagueiro do Cerro Porteño (PAR), o centroavante Ricardo Oliveira é o principal destaque do Santos em 2015 e maior artilheiro da temporada brasileira com 36 gols.

A comparação tem sido feita com frequência por conselheiros do Tricolor desde que o interesse em Lugano foi pulgado na semana passada. O discurso é de que não se pode descartar um jogador talentoso apenas pela idade e que é preciso dar mais experiência e pegada a um time que perderá o capitão Rogério Ceni na próxima temporada.

Curiosamente, Ricardo Oliveira chegou a ser sondado pelo São Paulo no fim do Campeonato Paulista, quando a renovação com o Santos ainda não havia sido concretizada. Além disso, o camisa 9 do time da Baixada Santista é o maior algoz do Tricolor no ano, com seis gols marcados em sete clássicos San-São disputados. O desempenho do atacante veterano também serviu para o volante Wesley comentar as chances de Lugano retornar.

‘Claro que uma idade avançada pode atrapalhar, mas é só pegar o Ricardo (Oliveira) como exemplo, que está comendo a bola’

– Sabemos da história que ele tem, é um cara vitorioso, ídolo… Mas futebol é dinâmico. Não podemos prever o que um cara de 35 anos pode render. Claro que uma idade avançada pode atrapalhar, mas é só pegar o Ricardo (Oliveira) como exemplo, que está comendo a bola. Depende do jogador, mas a diretoria é que precisa resolver. Se vier, ficaremos felizes – afirmou Wesley, em entrevista coletiva.

Lugano e Ricardo Oliveira, inclusive, já atuaram juntos pelo São Paulo. Em 2006, a dupla ajudou o Tricolor a chegar à decisão da Copa Libertadores da América, contra o Internacional. O centroavante, devido a problemas no contrato de empréstimo com o Bétis (ESP), acabou jogando apenas a primeira partida e desfalcou o time de Muricy Ramalho na perda do título no Beira-Rio. O jogo em Porto Alegre marcou a despedida do zagueiro uruguaio do clube paulista.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Esportes

Loading...

Ricardo Oliveira vira exemplo para quem defende a volta de Lugano

Conselheiros do São Paulo e até mesmo o volante Wesley citaram o centroavante do Santos, maior artilheiro da temporada brasileira, para minimizar idade do uruguaio

Os defensores do retorno de Diego Lugano ao São Paulo têm usado o maior algoz do clube na temporada para minimizar a desconfiança sobre a idade do uruguaio. Aos 35 anos, mesma idade do zagueiro do Cerro Porteño (PAR), o centroavante Ricardo Oliveira é o principal destaque do Santos em 2015 e maior artilheiro da temporada brasileira com 36 gols.

A comparação tem sido feita com frequência por conselheiros do Tricolor desde que o interesse em Lugano foi divulgado na semana passada. O discurso é de que não se pode descartar um jogador talentoso apenas pela idade e que é preciso dar mais experiência e pegada a um time que perderá o capitão Rogério Ceni na próxima temporada.

Curiosamente, Ricardo Oliveira chegou a ser sondado pelo São Paulo no fim do Campeonato Paulista, quando a renovação com o Santos ainda não havia sido concretizada. Além disso, o camisa 9 do time da Baixada Santista é o maior algoz do Tricolor no ano, com seis gols marcados em sete clássicos San-São disputados. O desempenho do atacante veterano também serviu para o volante Wesley comentar as chances de Lugano retornar.

– Sabemos da história que ele tem, é um cara vitorioso, ídolo… Mas futebol é dinâmico. Não podemos prever o que um cara de 35 anos pode render. Claro que uma idade avançada pode atrapalhar, mas é só pegar o Ricardo (Oliveira) como exemplo, que está comendo a bola. Depende do jogador, mas a diretoria é que precisa resolver. Se vier, ficaremos felizes – afirmou Wesley.

Lugano e Ricardo Oliveira, inclusive, já atuaram juntos pelo São Paulo. Em 2006, a dupla ajudou o Tricolor a chegar à decisão da Copa Libertadores da América, contra o Internacional. O centroavante, devido a problemas no contrato de empréstimo com o Bétis (ESP), acabou jogando apenas a primeira partida e desfalcou o time de Muricy Ramalho na perda do título no Beira-Rio. O jogo em Porto Alegre marcou a despedida do zagueiro uruguaio do clube paulista.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Esportes

Loading...