Conteúdo por Gazeta Esportiva

Rodrigo Caio exalta final e prega tranquilidade contra catimba argentina

O Flamengo iniciou sua preparação para a final da Libertadores, neste sábado, contra o River Plate-ARG, em Lima. O zagueiro Rodrigo Caio falou com a imprensa e exaltou poder estar presente na decisão continental.

“É o auge da carreira de todo jogador. Venho fazendo um grande ano, estou muito feliz mesmo. Ter vivido um momento difícil em 2018, e 2019 vem sendo um ano mágico para mim. Venho fazendo grandes jogos. Hoje podendo chegar em uma final, que sempre foi o objetivo real na minha vida. Tive oportunidade de chegar em uma semifinal, hoje disputar a final é mágico. A gente espera alcançar esse objetivo, só fica marcado quando vence. Não ganhamos nada ainda”, disse.

(Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)

O defensor destacou que os rubro-negros têm trabalhado para minimizar os erros antes da decisão. O jogador citou os recentes clássicos contra Botafogo e Vasco como jogos a serem levados em conta.

“Tudo é aprendizado na vida. Vejo o jogo contra o Botafogo um aprendizado muito grande, time que parou o jogo 90 minutos, sempre entrando forte nas jogadas, em alguns momentos até um pouco excessivo. Contra o Vasco, tivemos momentos de desatenção, tomamos quatro gols, o que para nós é inaceitável pela forma como a gente defende. Encaramos isso como aprendizado para chegar o mais preparado possível. Ainda temos três, quatro dias de preparação. Não tenho dúvidas que o time está preparado para todos os desafios, se preparou muito. A equipe está calejada”, declarou.

Rodrigo Caio afirmou que viu jogos do River Plate e acredita que o Flamengo pode superar os argentinos na final.

“Assisti aos dois jogos contra o Boca. Equipe que joga com dois jogadores por dentro e muita mobilidade. Teremos uma atenção especial nisso. É uma forma diferente de jogo, uma ideia de como a gente joga também. Não temos tanto uma formação dessa no Brasil. O Vasco jogou um pouco assim. O mais importante é estar concentrado no nosso jogo. Eles têm um coletivo muito forte, são duros na marcação. Se tiver a bola e rodar bem do jeito que faz, a gente consegue superá-los em alguns momentos”, comentou.

Por fim, minimizou a possibilidade da equipe argentina utilizar a catimba para buscar desestabilizar os jogadores brasileiros na final.

“Sabemos da rivalidade que é Brasil e Argentina, da grandeza que é o jogo. É normal de ter bastante catimba, principalmente da equipe deles, pela forma como jogam, mas aqui temos jogadores muito experientes. O que aconteceu em algum jogos precisa ter atenção redobrada na final. Não pode perder nenhum jogador. Em uma partida dessa prejudica muito. Acredito que cada um tem essa mentalidade”, falou.

O Flamengo ainda vai realizar um treino, nesta quarta-feira, antes da viagem para Lima. O técnico Jorge Jesus vai utilizar os trabalhos no Brasil para criar a estratégia para o confronto contra o River Plate. Sem problemas no elenco, os flamenguistas vão com o que tem de melhor para a final.

Futebol