Rogério Micale não é mais treinador do Figueirense

O Figueirense confirmou na tarde desta quarta-feira (28) a saída do técnico Rogério Micale. De acordo com a informação repassada pelo aplicativo oficial do Alvinegro, a decisão foi tomada em comum acordo entre as duas partes. Micale esteve à frente do Alvinegro por 12 jogos na Série B do Campeonato Brasileiro, porém seu desempenho foi muito ruim (6 derrotas, 5 empates e 1 vitória). O clube chegou à última rodada da competição com chances matemáticas de ser rebaixado à Série C do Brasileiro em 2019, mas escapou graças à derrota do Paysandu. 

Rogério Micale terá que alterar equipe contra o Sampaio Corrêa (Foto: Divulgação) -
Rogério Micale não é mais técnico do Figueirense (Foto: Divulgação) –

Em entrevista ao Notícias do Dia, o treinador afirmou ter voltado de Florianópolis a Belo Horizonte de carro e confirmou como o principal motivo para a sua saída a crise financeira do clube. No dia 12 de dezembro, ele completaria três meses no Alvinegro, período em que quase não foi remunerado. “Recebi apenas alguns dias no começo, quando cheguei”, afirmou, referindo-se ao que consta em carteira, sem contar o direito de imagens.

O ex-comandante alvinegro lamentou a situação atual em que se encontra o Figueirense. Nas palavras dele, dezembro será o quarto mês de salários atrasados e isso interferiu diretamente na campanha na Série B. “Quando eu cheguei era o primeiro mês de atraso. (…) É lógico que isso interfere no vestiário. É conta que chega, é esposa que cobra em casa… tem tudo isso. As pessoas acham que o futebol é uma bolha e que as pessoas podem ficar sem receber e não é assim”, desabafou. “O pior é que não ver perspectiva de melhora”, completa. Vale ressaltar, de acordo com ele, que a saída ocorreu de forma harmoniosa. “Torço de coração para que o clube se recupere dessa situação”, pondera.

No caso dele, graças às suas reservas, o impacto não foi tão grande, mas a situação é delicada para alguns funcionários. Apesar disso, ele espera que a situação do clube mude e que o presidente Cláudio Vernalha consiga reverter o quadro preocupante. “O perfil do clube vai mudar e tem que ser assim. Será um elenco mais enxuto”, deixou escapar o ex-treinador. “É muito fácil colocar a culpa sempre no treinador”, defende-se.

O ND procurou o Figueirense para falar sobre os atrasos. A versão da assessoria de imprensa é de que o assunto é tratato internamente e que o clube “está trabalhando para organizar as questões financeiras”. 

Carinho muito grande pelo clube

Apesar de expor uma situação já conhecida, Rogério Micale enfatizou sueu carinho pelo Figueirense. “Veja, eu tenho uma história dentro do clube. Quando eu assumi era para colocar o clube numa situação melhor, mas os resultados não aconteceram”, disse. Micale foi comapeão pelo Alvinegro da Copa São Paulo de Futebol Jr. em 2008.

Em 2016, ele conquistou o título mais importante de sua carreira, o ouro olímpico com a seleção brasileira nos Jogos do Rio de Janeiro.

Mais conteúdo sobre

Futebol