Ronaldo escreve nesta terça-feira o último capítulo de uma história de 17 anos

Maior artilheiro das Copas se despede do futebol em amistoso da seleção brasileira contra a Romênia

Vipcomm/Divulgação/ND

Ao lado de Lucas Leiva, o ex-atacante Ronaldo treina para seu jogo de despedida

Um conto de fadas que se preze tem de ter um desfecho feliz. E coube à torcida de São Paulo testemunhar nesta terça-feira o adeus de Ronaldo na seleção brasileira. O capítulo final da história de 17 anos, interrompida no fracasso da Copa do Mundo de 2006, na Alemanha, ocorre no estádio do Pacaembu, às 21h50, diante da Romênia.

O último amistoso antes da Copa América – que será em julho, na Argentina – terá momento mágico aos 30 minutos, quando o eterno camisa 9 da seleção virá dos vestiários para o campo. Serão 15 minutos jogando e, não sabe-se quantos, recebendo as merecidas homenagens pelos serviços prestados ao País. Em 104 jogos são nada menos de 67 gols, três finais de Copas do Mundo disputadas com dois títulos conquistados (1994 e 2002) e a marca de maior artilheiro dos Mundiais, com 15 gols.

“Estou muito feliz, emocionado de encerrar essa etapa da minha vida com a seleção, foi um aprendizado muito grande”, afirmou Ronaldo, pela manhã, ao receber homenagem da CBF. “Estou tremendo todo de nervoso, emocionado. Lógico que seria um sonho me despedir fazendo gol. E para isso já comentei com meus amigos que chegou dentro da área é para cair”, brincou. “Daí, ainda tenho de fazer o gol de pênalti, o que não é fácil”, enfatizou.

Ronaldo, na verdade, foi um dos maiores goleadores do País. Sua frieza na frente dos goleiros é uma virtude vista em poucos jogadores. Não por acaso, o país agora se vê carente de um novo camisa 9. Não há, ao menos Mano Menezes ainda não encontrou, alguém que possa assumir o número. Em sete amistosos sob a batuta do treinador gaúcho, oito centroavantes foram chamados.

Em busca do camisa 9

Entre os atacantes testados por Mano Menezes, Alexandre Pato, do Milan, é quem mais agradou. Por isso está sendo aguardado – recupera-se de lesão no ombro – para a convocação final para a Copa América. O médico da seleção, José Luís Runco, deu indícios de que o craque estará no grupo. Nilmar também agrada e vem sendo presença constante nas listas de Mano Menezes.

André, Hulk, Fred, Leandro Damião, Diego Tardelli e Jonas foram os outros chamados por Mano Menezes. Adriano e Luís Fabiano, em fase de recuperação, ainda aparecem nos planos do técnico. Ainda mais após os fracassos diante das seleções mais fortes – Argentina, França e Holanda -, na qual a seleção não balançou as redes. Empate por 0 a 0 com os holandeses e derrotas por 1 a 0 para os outros rivais.

Aposta em Neymar

“Minha relação com a camisa 9 da seleção foi de muito amor. Eu servi com muito amor, muita dedicação, entrega e acho que correspondi. Fiquei muito honrado de tudo que fiz, orgulhoso e não tenho a pretensão de ser insubstituível”, disse Ronaldo. “Vai aparecer um outro grande jogador. O povo não ficará órfão de um grande craque”, afirmou.

E fez sua aposta para quem passará a coroa. Não para a camisa 9. “Sem dúvida o Neymar. É um jogador que tem talento imenso e muita margem para melhorar ainda, tecnicamente, taticamente e fisicamente. Eu acho que o Neymar é a aposta do futuro para mim”.

Brasil

Victor
Maicon
Lúcio
David Luiz
André Santos
Sandro
Elias
Henrique (Elano)
Neymar
Fred
Robinho
Técnico: Mano Menezes

Romênia

Tatarusanu
Rapa
Papp
Gardos
Latovlevici
Gabriel Torje
Muresan
Bourceanu
Tanase
Zicu
Ciprian Marica
Técnico: Stephen Jovan (interino)

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo. Data: 7/06/2011. Horário: 21h50. Árbitro: Sergio Pezzota (Fifa, Argentina).

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Esportes

Loading...