Salários atrasados e base sem transporte: crise extracampo do Figueirense volta à tona

Atualizado

A calmaria que soprou na última semana no bairro do Estreito foi apenas uma exceção. A segunda-feira (12) do Figueirense voltou a trepidar com mais indícios dos graves problemas financeiros que assolam o clube: atletas e funcionários sem receber os salários referentes a julho; dois funcionários que conseguiram o desligamento via Justiça do Trabalho e as categorias de base que não treinaram em função da falta de transporte.

Leia mais

O Figueirense segue batendo cabeça fora de campo. Mesmo depois da promessa da direção de que problemas semelhantes não se repetiriam, logo depois da assinatura de uma espécie de “termo de compromisso”, eles voltaram. Não exatamente os problemas, mas os efeitos.

Presidente Cláudio Honigman [de camisa] ao lado do chefe de comunicação Bruno Ribeiro, logo após a reunião com os atletas. Dupla parece isolada no Figueirense – Flavio Tin/ND

As equipes de base do clube não realizaram as atividades programadas para essa segunda-feira (12). Um veículo coletivo que ajuda no transporte do estádio Orlando Scarpelli até o CFT (Centro de Formação e Treinamento), em Palhoça, não foi disponibilizado. Em contato com o clube, por meio da assessoria de imprensa, a informação é que foi um “ajuste do serviço terceirizado”, mas que, a partir dessa terça, tudo será normalizado.

Funcionários se despediram

O clube confirmou também a saída do preparador de goleiros, Joseval Vieira e da psicóloga Dalila Ayala. O primeiro reunia 14 anos de clube onde passou por todos os degraus da base até chegar no time profissional. Recentemente ele manifestou seu apreço e “prazer” em trabalhar com o goleiro Denis por dois anos. Denis, que também conseguiu uma rescisão via Justiça do Trabalho, já estreou no futebol português.

Segundo o Figueirense a saída de Joseval e Dalila foi “opção” deles. Por outro lado a Justiça do Trabalho confirmou que a decisão aconteceu de maneira unilateral onde ambos ingressaram contra o clube pelo não recolhimento do FGTS.

Salários de julho não foram quitados

O clube, por fim, também não quitou com atletas e funcionários os salários referentes ao mês de julho. Questionado se há algum prazo para serem ajustados, a assessoria de imprensa não manifestou nenhum retorno até a publicação da matéria.

Futebol