Conteúdo por Gazeta Esportiva

Sampaoli se emociona com goleada e revela “dívida” com o Santos

O técnico Jorge Sampaoli ficou emocionado com a goleada do Santos por 4 a 1 sobre o Botafogo neste domingo, na Vila Belmiro, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O argentino destacou a superioridade do Peixe em relação ao Fogão e a busca incessante por mais gols.

“Não conhecia o torneio, tratei de aprender. Estou muito feliz pelo que a equipe fez em 11 meses. Não só pelos pontos, mas pela campanha com jogadores novos, jovens. Fomos primeiro, segundo ou terceiro ano. Por partidas como a de hoje, que emocionam. Equipe poderia ter feito cinco ou seis. Foi muito superior ao rival, não renuncia ao ataque por nada. Tomara que isso fique marcado com o tempo. Equipe que representa bem o Santos e a eles mesmos em campo e também a cidade. Esse tipo de jogo é o que nos entusiasma. Não negociar a forma. É o mais importante e que nos levou a esse lugar”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

Sampaoli fez elogios, mas também alertou a equipe sobre a queda do ritmo. O Santos fez 2 a 0, sofreu o primeiro e quase se complicou na Vila.

“Tem que ser mais intenso, jogar rápido, passar mais rápido a bola. Demoramos no centro de campo para encontrar o passe seguinte. Isso torna a equipe um pouco lenta. Temos que encontrar quem está bem posicionado para fazer dano. Primeiros 20 minutos foram incríveis, depois 10 minutos que não nos encontramos com o gol sofrido e nos encontramos. É a evolução coletiva, individualmente não acho que faremos diferente do resto. Coletivamente, podemos fazer o que o povo santista quer”, afirmou.

“Volto a sentir que tentamos evoluir nosso estado de ânimo. Nos gerou o gol de bola parada, voltou a nos afetar. Foram 15 minutos quase cegos sem encontrar linha de passe, gerir o jogo. Depois no segundo tempo tivemos clareza conceitual com argumentos que nos permitiram ganhar com diferença”, emendou.

Por fim, Jorge Sampaoli falou sobre a autocobrança para ver o Santos igual na Vila Belmiro ou em qualquer outro lugar. O Peixe enfrentará Avaí e Goiás fora na sequência do Brasileirão. O Alvinegro é o terceiro colocado, com 58 pontos, a cinco do Palmeiras e a 13 do líder Flamengo.

“É uma dúvida pendente comigo, de não desfrutar o ataque em outros lugares como na Vila. Todas minhas equipes jogaram igual em todos os campos. Para nós custa um pouco desenvolver fora. Mandos são fortes no Brasil, se sente um pouco. Muita paixão pela casa e ambientes difíceis. Seguiremos trabalhando. Esses seis pontos são muito importantes. Equipes estão ganhando e nos obrigam a ganhar para irmos para a Libertadores. Então temos que ganhar”, concluiu.

Mais conteúdo sobre

Futebol