Conteúdo por Gazeta Esportiva

São Paulo paga parte dos direitos de imagem que estão atrasados

O São Paulo quitou parte dos direitos de imagem que estão atrasados. Embora o ressarcimento em questão represente apenas 30% do salário dos atletas, a diretoria agiu rápido para arcar parcialmente com os custos até como forma de evitar possíveis consequências deste problema financeiro, entre elas o desempenho dentro de campo.

Como nem todos os atletas tiveram suas respectivas situações regularizadas, a ideia da diretoria é dar fim ao atraso de direitos de imagem até o reinício do Campeonato Brasileiro, o que acontece no próximo sábado, quando o São Paulo recebe o Palmeiras, às 19h (de Brasília), no estádio do Morumbi.

O descompasso no fluxo de caixa do São Paulo fez com que o departamento financeiro atrasasse alguns pagamentos ao elenco. As eliminações precoces na Copa do Brasil e Libertadores foram elementares para que esse problema fosse desencadeado, já que o Tricolor projetava ir mais longe em ambas competições.

O atraso no pagamento de direitos de imagem não era algo bem visto internamente muito por conta das contratações milionárias que o São Paulo realizou neste ano, casos de Pablo (R$ 25 milhões), Tchê Tchê (R$ 22 milhões) e Hernanes (R$ 13 milhões). Além deles, Raniel foi anunciado há poucos dias depois de o Tricolor aceitar desembolsar R$ 13 milhões, entretanto, a negociação foi bancada por um intermediário, que será ressarcido pelo clube do Morumbi posteriormente.

Para reequilibrar o departamento financeiro, o São Paulo espera realizar algumas vendas durante essa janela de transferências. O orçamento do clube previa R$ 120 milhões em negociações de jogadores, entretanto, até agora apenas Tuta (R$ 7,6 milhões), Rodrigo Caio (R$ 22 milhões) e Militão (R$ 25 milhões) encheram a caixa registradora do Tricolor.

Como Raí e companhia já deixaram claro que os garotos revelados em Cotia que brilharam no Paulistão não serão vendidos neste ano, casos de Antony, Igor Gomes, Luan e Liziero, o Tricolor torce para que David Neres seja vendido pelo Ajax – o São Paulo tem direito a 20% da venda do atacante, além de 3,5% correspondente ao mecanismo de solidariedade por ser o clube formador.

Futebol