Conteúdo por Gazeta Esportiva

São Paulo recebe presidente da Câmara por projeto de clube-empresa

Atualizado

O São Paulo contou nesta segunda-feira com a ilustre presença do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, no CT da Barra Funda. Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, presidente do Tricolor, foi quem recebeu Maia nas dependências do clube para debater o projeto de viabilizar a entrada de investidores aos times do Brasil.

“Como temos afinidades relacionadas com a ideia de futebol-empresa, trabalho que o São Paulo vem fazendo há dois anos, pudemos conversar. Há uma cláusula estatutária que determina a elaboração desse estudo, que está adiantadíssimo a ponto de poder ser veiculado e transitar pela classe política do São Paulo. Receber a visita do presidente Rodrigo Maia para nós tem um significado extraordinário”, disse o presidente Leco.

Botafoguense assumido, Rodrigo Maia articula no Congresso Nacional a possibilidade de os clubes brasileiros passarem a contar com investidores que os fortaleçam na intenção de manter seus principais jogadores por mais tempo e poder ter uma competição mais justa com os europeus e, mais recentemente, os chineses, responsáveis por comprar as joias do futebol nacional.

“Para que isso ocorra precisamos modernizar os clubes, garantir mais investimentos privados para termos a capacidade de competir com China, Europa, que ao longo dos últimos anos tem tirado nossos jogadores daqui. Vou visitar outros clubes, mas o São Paulo é uma referência importante há muitos anos para que a gente possa avançar no que seria um projeto de clube-empresa que estimule ou encaminhe os clubes a separar a parte associativa do futebol”, comentou o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.

“Hoje perdemos muitos garotos muito cedo pela falta de recursos do futebol brasileiro. Até como atividade econômica, o futebol representa menos de 1% do PIB brasileiro, 0.7% segundo os estudos que o presidente da CBF me encaminhou uma semana atrás. Além de econômica, o futebol é uma atividade social muito importante”, completou.

Durante a apresentação de Daniel Alves, no Morumbi, o presidente do São Paulo já havia discursado a favor da separação do departamento de futebol do clube social. Na visão de Leco, só será possível continuar contratando nomes de peso se o Tricolor contar com aportes financeiros de investidores, sejam eles nacionais ou estrangeiros, a exemplo do que acontece em grandes clubes do mundo, como Liverpool, Paris Saint-Germain, Manchester City, entre outros.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, espera que o projeto possa ir para votação até o final deste ano. Maia aparentou estar otimista quanto a viabilização de uma nova estrutura para os clubes do futebol e explicou quais são os próximos passos para que isso se concretize futuramente.

“Ao longo dos próximos meses temos que construir um texto, trabalhar um texto em agosto, setembro e outubro organizar o debate e tentar votar na Câmara ainda esse ano. Acho que é possível, acho que os brasileiros apaixonados por futebol estão torcendo por isso. Que a gente não veja um garoto hoje de 16, 17 anos treinando, tendo um talento, e amanhã jogando na China, Inglaterra, Espanha e a gente assistindo esse craque pela TV e vendo nossos filhos comprando a camisa do Barcelona ao invés de comprar a camisa do Botafogo, do São Paulo. As crianças precisamos voltar a admirar os clubes brasileiros, não os estrangeiros. Só se faz isso com uma modernização do futebol e transformando o futebol em uma estrutura que possa captar recursos privados, nacionais ou estrangeiros”, concluiu.

Futebol