Conteúdo por Gazeta Esportiva

Scaloni diz que terceiro lugar é “prêmio de consolação” à Argentina

Atualizado

O técnico Lionel Scaloni fez um balanço positivo da participação argentina na Copa América 2019. O time alviceleste, derrotado pelo Brasil nas semifinais, terminou o torneio na terceira colocação, após vencer o Chile por 2 a 1, no último sábado, na Arena Corinthians.

“Para nós fica o prêmio de consolação por ter vencido a disputa pelo terceiro lugar, que era o mínimo que poderíamos fazer”, disse o treinador, em coletiva de imprensa. Na entrevista, Scaloni se mostrou satisfeito com o trabalho em seu primeiro torneio a nível profissional.

“Para toda a comissão técnica que trabalhou comigo era uma prova difícil e foi um grande alívio, porque fizemos as coisas com humildade e autoestima. No fim saímos bem e devemos muito aos jogadores. O vestiário está unido e não há nada mais lindo para um treinador”, celebrou.

“Espera-se muito da Argentina e que ela chegue sempre nas semis e finais nos torneios. Viajamos para o Brasil com a vontade de vencer, mas não foi possível e é contraproducente jogar esta responsabilidade em um grupo no qual muitos atletas estrearam em um torneio como a Copa América”, avaliou.

Scaloni, contudo, aumentou o coro contra a atuação do árbitro de vídeo na competição. Além da reclamação de pênalti em Sergio Agüero no jogo contra o Brasil, o técnico não concordou com a expulsão de Lionel Messi após entrevero com o zagueiro chileno Gary Medel. Na visão dos argentinos houve omissão do VAR em ambos os lances.

“Não entendo o critério do VAR. Não entende o que ele [Messi] fez para ser expulso. Seria interessante se o árbitro dissesse publicamente o que viu, e também os [assistentes] do VAR. É evidente que ele tomou uma decisão muito rápida, estranha, e o pior de tudo é que o VAR ratifica”, reclamou.

“Levam quatro minutos [para tomar uma decisão] em uma partida, em outras se leva apenas uns segundos. [O VAR] Está tão verde que a Copa não era o momento indicado para utilizá-lo”, concluiu.

Copa América