Conteúdo por Gazeta Esportiva

Sem abdicar de estilo, Sampaoli espera dificuldades em gramados ruins

No último domingo, o Santos saiu do Estádio Nílton Santos com uma importante vitória por 1 a 0, que colocou o clube na liderança do Campeonato Brasileiro ao lado do Palmeiras. Jorge Sampaoli, no entanto, optou pela cautela no que diz respeito a ponta da tabela, prevendo dificuldades de seus comandados ao longo da competição, algumas delas por conta dos gramados do Brasil.

“O gramado (do Nílton Santos) não ajudou o nosso jogo. No Brasil, com toda sua cultura futebolística, não podemos ter um campo assim. O Brasil não pode ter um estádio, um campo na condição em que não se dá três passes. Não tem a ver com a história do país, do futebol brasileiro, um gramado como esse”, disse Sampaoli em entrevista coletiva.

Em um jogo de imposição e busca por posse de bola de ambos os lados, o gramado do Engenhão acabou como um dos destaques negativos. E mesmo prevendo mais campos em más condições ao longo do campeonato, o treinador santista não pretende abrir mão de suas convicções e seu estilo. O exemplo dado foi justamente o embate frente ao Botafogo.

“O meu time busca sempre protagonizar no jogo. Vamos encontrar dificuldades de propor o jogo em qualquer lugar que jogarmos, em qualquer condição. Com dez homens no time, como aconteceu contra o Botafogo, criamos chances e nunca renunciamos à ideia. Foi um jogo difícil em um campo complicado. Temos que ficar atentos no que está por vir, porque vai ser ainda mais difícil”, comentou o técnico.

Com os três pontos conquistados diante do Botafogo no Estádio Nílton Santos, o Peixe chegou aos 26 pontos e igualou a pontuação do Palmeiras, que segue à frente pelo número maior de gols marcados. Os comandados de Sampaoli, agora, voltam a campo no próximo domingo, na Vila Belmiro, para medir forças com o Avaí.

Mais conteúdo sobre

Futebol