Sem interesse do Joinville em renovar, Willian Popp diz deixar clube de cabeça erguida

Mesmo com proposta irrecusável da Coreia do Sul, jogador esperava momento melhor para deixar o Tricolor

Carlos Junior/Arquivo/ND

Willian Popp (10) fez seu jogo de despedida no domingo (6), diante do Guarani, na Arena Joinville

Ele não chega a ser um ídolo do Tricolor, mas é inegável que Willian Popp entrou para a história do Joinville. Ano passado, aos 21 anos, o jogador foi o único joinvilense a entrar em campo pelo Tricolor na Série A do Campeonato Brasileiro. Cria da base, Popp subiu em 2014 e aos 22 anos deixa o clube do coração para se aventurar no futebol da Coreia do Sul.

A informação, antecipada pela coluna No Giro da Bola, foi confirmada ontem pelo próprio clube. “O atacante Willian Popp deixa de ser atleta do Joinville a partir desta segunda-feira. O Joinville Esporte Clube negociou os direitos do atleta com um clube da Coreia do Sul. O JEC recebe compensação financeira em decorrência da liberação do atleta, que tinha vínculo com o Tricolor até o final deste ano”, diz nota publicada no site do JEC.

Segundo o próprio jogador, a transação era questão de tempo para ser confirmada. Para Willian Popp, o negócio foi bom para ele e para o clube também. “Demorou porque eles [coreanos] analisam bastante. Financeiramente é bom para mim e para o JEC também porque o clube não ia renovar comigo e não iam ganhar nada quando acabasse o contrato”, contou Popp, por telefone, à reportagem do ND.

Criticado nos últimos jogos, principalmente por vestir a camisa 10, mesmo não sendo um armador nato, Willian Popp encarou as vaias no domingo, diante do Guarani, como naturais, tendo em vista o mau começo do Tricolor no ano. “Não foram todos que vaiaram. A maioria aplaudiu quando fui substituído”, lembra, ao falar das vaias que deram lugar a aplausos quando saiu de campo para a entrada de Thomás, aos 23 minutos da segunda etapa de JEC 2 x 1 Guarani.

Na última semana, Popp dera uma entrevista que repercutiu negativamente nas redes sociais, quando disse que já tinha dado alegrias ao torcedor. Com personalidade, o garoto mantém o discurso e cita o ano passado como exemplo. “Quem lembra do Catarinense de 2015 sabe que fui importante para o título. Já dei, sim, alegrias à torcida”, argumentou.

Willian Popp, que já jogou em todas as funções do meio-campo e do ataque nos profissionais, deixa o Joinville com 54 partidas disputadas e dois gols marcados.

“JEC vai melhorar”

Mesmo que seja um negócio irrecusável para Willian Popp, o jogador garante que não era exatamente esse o momento para deixar o clube, que venceu apenas duas partidas no ano. “Não era o momento que eu queria. Queria que o Joinville estivesse melhor, mas saio feliz porque sempre dei o meu melhor aqui”, avalia.

Ainda assim, o joinvilense acredita que tudo vai mudar na vida do JEC depois da vitória diante do Guarani, na abertura do returno. “O grupo ganha confiança. Temos um grande time, vai melhorar”, reitera, ao deixar as portas abertas para uma negociação de retorno no futuro. “Um dia quem sabe. Se for para voltar só espero que seja num momento melhor”, pondera.

Sem Popp, mas com Agenor e Mário Sérgio de volta aos treinos, o Joinville ganhou uma semana para se preparar para encarar o Figueirense, no sábado, em Florianópolis, pela segunda rodada do returno do Estadual.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Esportes

Loading...