Sem jogar a Série D-2013, Cianorte vai à Justiça para jogar a Série C-2014

Clube se vale de brigas judiciais passadas para processar a CBF por vaga

O Cianorte (PR) é mais um clube a colocar a CBF no banco dos réus na Justiça Comum. O clube paranaense entrou com uma ação contra a entidade para tentar conseguir uma vaga na Série C-2014 sem nem mesmo ter disputado a Série D de 2013.

A argumentação dos dirigentes, que esgotaram a esfera desportiva, tem outro imbróglio jurídico como base: o que envolveu Treze (PB) e Rio Branco-AC, iniciado em 2011.

Os paranaenses usam uma tese complexa. Eles alegam que a política de acesso praticada pela CBF para a Série C-2013 incluiu cinco times, já que o Superior Tribunal Federal decidiu colocar o time acriano na Terceirona. O Cianorte vai além e diz ter direito a um lugar na Terceira Divisão porque o Estatuto afirma que o regulamento de uma competição tem de vigorar por dois anos seguidos.

Sendo assim, o clube do Paraná entende que, por ter sido quinto colocado da Série D de 2012, ano seguinte ao início da novela Treze/Rio Branco, é dotado do direito de entrar na Série C de 2014.

– Não queremos tirar a vaga de ninguém, mas o Estatuto diz que a fórmula tem que ser repetida por dois anos, e entendemos que temos direito a uma vaga. A Série C teria 22 times – contou o gerente de futebol do Cianorte, Adir Kist.

Presidente do clube paranaense, Lucas Franzato acredita em uma resposta rápida dos tribunais.

– O Cianorte está confiante de que vai conseguir a liminar na Justiça, o que deve acontecer na próxima semana. O Estatuto do Torcedor está do nosso lado – disse ele.

O Cianorte tem um ressentimento com a CBF por causa da reviravolta no regulamento da Série D-2013. Inicialmente, a entidade anunciou, em ofício às federações estaduais, a redução de 40 para 32 times, incluindo o quinto colocado da Série D-2012 – o Cianorte (veja abaixo). Mas algumas federações pediram e, dois meses depois, a CBF retrocedeu, deixando o clube a ver navios. O Cianorte calcula um prejuízo de R$ 3 milhões por conta disso.

Com a palavra
Hélio Cury – Presidente da Federação Paranaense, ao lance!

Não houve solução política com a CBF

poiamos nosso filiado. Quem acompanha a CBF sabe que eles não dão solução às coisas, empurram com a barriga. Sobre a vaga prometida e que foi tirada, conversamos por muitos meses com Marin, Del Nero e outros diretores. Não houve solução política, e agora a questão está com a Justiça. Convidaram e desconvidaram. O clube teve um prejuízo grande.

CONFUSÕES

R. Branco-AC x Treze x CBF

O Rio Branco-AC foi excluído e rebaixado da Série C-2011 por acionar a Justiça comum para liberar o uso da Arena da Floresta. Mas depois fez um acordo com a CBF para não cair. O Treze, quinto colocado da Série D, decidiu brigar nos tribunais contra o acordo ganhar a vaga do Rio Branco. O clube paraibano conseguiu o lugar na Terceirona de 2012. No mesmo ano, o Rio Branco não jogou a C nem a D e continuou lutando na Justiça para ficar na Terceira Divisão. O acriano teve o pleito atendido pelo STF só em 2013, deixando o torneio com 21 times, Treze e Rio Branco incluídos.

Cianorte na Série D? Não!

A CBF anunciou que iria reduzir o número de participantes da Série D-2013, de 40 para 32. Na distribuição de vagas, 27 times, um de cada estado, se juntariam aos quatro rebaixados da Série C do ano anterior. Para a soma ficar com número par, o quinto colocado da quarta divisão de 2012 – o Cianorte – teria direito a uma vaga. Mas algumas federações estaduais pediram, e a CBF retrocedeu dois meses depois, mesmo já tendo comunicado a clubes e entidades sobre a mudança. O Cianorte, que tinha investido em contratações, ficou sem disputar o Nacional, apesar dos investimentos de R$ 3 milhões.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Esportes

Loading...