Conteúdo por Gazeta Esportiva

Técnico da Colômbia joga favoritismo para o Chile: “Não temos nada a perder”

Atualizado

A Colômbia é a única equipe 100% na Copa América e, sem ser vazada, chega em condição de favoritismo para encarar o Chile, nesta sexta-feira, às 20h (de Brasília), na Arena Corinthians, pelas quartas de final. O cenário, que parece óbvio para quem acompanhou a trajetória de ambas equipes no torneio, foi prontamente rechaçado pelo técnico da equipe do norte do continente, Carlos Queiroz.

Sereno para tratar de temas como “a magia do futebol” e vontade de “buscar o sonho do título continental”, o português deixou todo o favoritismo para o adversário do mata-mata. Apoiando-se em alguns números históricos do confronto, Queiroz disse que a Colômbia só tem a aprender com os chilenos.

“Tentar ganhar e crescer é a opção da Colômbia, os campeões são o Chile. Nós não temos nada a perder, eles têm o título para defender. Ganharam um monte de vezes contra nós nas últimas Copas Américas, agora é a nossa chance”, disse o treinador. Encampando esse discurso, a assessoria da seleção mandou dados aos jornalistas que cobrem a equipe que endossam a tese. Em três confrontos eliminatórios no torneio (1987, 1999 e 2016), três classificações chilenas.

Ou seja, reforçaram que o favoritismo é do adversário, algo bastante incomum na atividade. “Eles têm um grandíssimo treinador. Mas eles também sabem que vão encontrar uma Colômbia com muita vontade e sabem que não vai ser fácil para eles. Nós não vamos deixar as coisas fáceis para eles, podem ter certeza”, continuou Queiroz.

De olho em um retorno às semifinais do torneio, fase alcançada na edição do Centenário da Conmebol, há três anos, os colombianos devem ter uma equipe semelhante à que enfrentou a Argentina, na estreia. Luis Muriel, cortado por lesão, é a única ausência certa.

“A única coisa que eu sei é que amanhã (sexta) todos sabem a responsabilidade. O mais importante é que os jogadores estejam focados. Se começarmos pensando apenas no resultado final, é mais difícil. É melhor jogar um grande jogo e o resultado final sai à vontade de Deus”, concluiu.

Copa América