Escudo: Figueirense
FIG Figueirense
Escudo: Fluminense
FLU Fluminense
Estádio Orlando Scarpelli - 11/03/2020 às 19h15

Figueirense bate o Fluminense e joga por um empate no Rio de Janeiro

Em sua melhor atuação na temporada o Figueirense bateu o Fluminense por 1 a 0 e largou em vantagem na terceira fase da Copa do Brasil. Para o jogo da volta, no Rio de Janeiro, o Furacão joga por um empate para seguir vivo na milionária competição.

Catarinenses e cariocas se reencontram na quinta-feira (19), às 21h30, no estádio Maracanã.

Figueirense x Fluminense, pela 3ª fase da Copa do Brasil. Foto: EDUARDO VALENTE/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO –

História do confronto

A semana foi de saudosismo e de um misto entre orgulho e dor, sobretudo, pelo reencontro com o algoz de 2007. Há 13 anos as equipes se enfrentavam para decidir o título da Copa do Brasil e, na ocasião, vencido pelo Tricolor das Laranjeiras.

Em um contexto completamente oposto – a começar pela etapa da competição – Figueirense e Fluminense encontraram-se para a partida de ida da terceira fase da rica e democrática competição.

O jogo

Dono da casa e empurrado pela maioria dos torcedores, o Figueirense teve uma atuação muito segura ao longo dos primeiros 45 minutos. Além de ganhar a maior parte das divididas e dos rebotes, em claro sinal de “gana” pelo confronto, o time teve mais volume que o Fluminense.

Apesar de ter se assanhado mais pelo campo de ataque, o Furacão somou apenas uma finalização com Marquinho, em chute de fora da área. O time de Márcio Coelho teve diversas oportunidades na bola parada já que foram, pelo menos, cinco faltas nas imediações da meta adversária onde nenhuma foi aproveitada.

O Fluminense, com uma proposta de contra-atacar a partir da velocidade de Wellington Silva e Marcos Paulo, especulou em busca de um espaço que não teve.

Apesar de parecer “morto” ao longo da primeira parte, apareceu em lance perigosíssimo com Evanílson que aparou um cruzamento da direita e exigiu de Sidão, uma linda defesa.

Segunda etapa

A segunda etapa o técnico Odair Hellmann, com ingresso de Igor Julião na vaga de Gilberto, promoveu uma melhora da sua equipe. O Fluminense, com a bola, passou a rondar a defesa do Furacão que teve que reduzir o ímpeto na parte final.

O time de Odair Hellmann, com Evanílson, perdeu chance incrível ao receber sozinho, dentro da área, e parar em Sidão.

Aos poucos o Figueirense foi voltando para a partida e, o torcedor, pegou o embalo. O time passou a pressionar, sobretudo, em chutes de longa distância. Aos 23’ Patrick bateu de fora da área, Muriel espalmou e, no rebote, Diego Gonçalves mandou para o gol em mais uma bela defesa do goleiro tricolor.

O prêmio chegou aos 37’ – com a mão do técnico. Everton, cinco minutos depois de entrar em campo, recebeu de Diego Gonçalves no lado esquerdo e cruzou na área para Alemão, no terceiro andar, cabecear para o fundo da rede. Gol e explosão no estádio Orlando Scarpelli

Próxima parada

O Figueirense, já classificado às quartas de final do Catarinense, recebe o Brusque, no estádio Orlando Scarpelli, de olho em uma melhor colocação. Já o Fluminense tem um clássico contra o Vasco, também no domingo, a partir das 16h.

Ficha técnica

Figueirense: Sidão; Lucas, Alemão, Pereira e Brunetti; Arouca (Everton), Elyeser (Paulo Ricardo), Patrick e Marquinho (Everton Santos); Diego Gonçalves e Pedro Lucas. Técnico: Márcio Coelho.

Fluminense: Muriel; Gilberto (Igor Julião), Nino, Matheus Ferraz e Egídio; Hudson, Yago Felipe e Nenê; Wellington Silva (Ganso), Evanílson e Marcos Paulo (Fernando Pacheco). Técnico: Odair Hellmann

Gols: Alemão (37/1T)

Cartões amarelos: Patrick, Elyeser (FIG); Gilberto, Egídio, Hudson e Marcos Paulo (FLU)

Arbitragem: Vinícius Gonçalves Araújo; auxiliado por Daniel Luis Marques e Daniel Paulo Ziolli (trio de São Paulo)

Local: estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC). Data: 11/03/20

Lances da partida

Futebol