“Turbilhão de emoções”: O ano do Avaí até a parada do futebol brasileiro

Atualizado

Perda de título, críticas, pressão da torcida, eliminação na Copa do Brasil, troca de treinador, presidente afastado, e por fim, a liderança no estadual. O início de temporada do Avaí foi marcado por um turbilhão de emoções em 2020.

Augusto Inácio foi apresentado pelo Avaí em dezembro – Foto: Gabriel Lain/ND

Ainda sem definição do que irá acontecer com o Campeonato Catarinense após a suspensão do campeonato devido à pandemia do coronavírus, os atletas da equipe seguem afastados das atividades por questões de prevenção.

Voltamos a 19 de dezembro de 2019. Espelhado no sucesso dos técnicos estrangeiros no Brasil, em especial Jorge Jesus e Jorge Sampaoli, o Avaí apresentou o português Augusto Inácio como novo treinador. Na época o “gajo” elogiou a estrutura do Leão e se mostrou confiante no projeto do clube para retornar a Série A do Campeonato Brasileiro.

Janeiro

O Leão iniciou a pré-temporada no dia 7 de janeiro, na cidade de Águas Mornas, na Grande Florianópolis. Com jogadores conhecido no cenário nacional a expectativa era grande. Valdívia, Wesley, Airton, Arnaldo, Rafael Pereira e Rildo foram apresentados. Seguidos por Bruno Silva, que retornou a equipe após passagem bem sucedida entre 2007 e 2012.

Após 10 dias de pré-temporada o Avaí teve seu primeiro desafio contra o Brusque, em jogo válido pela Recopa Catarinense, no dia 18. A partida, no entanto, foi uma decepção para os quase oito mil torcedores que foram a Ressacada já que, melhor fisicamente, o Brusque dominou o Leão e venceu pelo placar de 2 a 0, conquistando o título.

Brusque levanta a taça da Recopa na Ressacada – Foto: Lucas Gabriel/ Brusque FC

Os resquícios da péssima temporada de 2019 foram vistos na arquibancada. Vaias a jogadores já marcados pelo torcedor, como o volante Pedro Castro, e xingamentos para o recém-chegado treinador português.

Após a partida, a primeira “desavença” de Augusto Inácio com o grupo de jogadores. O treinador ressaltou o pouco tempo de pré-temporada, mas criticou o que chamou de falta de garra, além de criticar abertamente o meia Luan Pereira, que mais tarde deixou o Leão rumo ao futebol do Catar.

Quatro dias depois o Avaí voltou a campo, dessa vez na estreia do Campeonato Catarinense. Em jogo de pouquíssima inspiração, Avaí e Chapecoense ficaram no 0 a 0. A primeira vitória veio no dia 27. Com a Ressacada vazia, devido a uma punição pela invasão de campo ainda na final de 2019, o Leão jogou bem e venceu o Marcílio Dias por 3 a 1. O destaque ficou para Valdívia, que deu três assistências na partida.

Valdívia teve grande atuação contra o Marinheiro – Foto: André Palma Ribeiro/Avaí F.C.

A ducha de água fria veio três dias depois. Quando parecia que iria embalar, o Leão voltou a perder para o Brusque na Ressacada. 1 a 0, vaias e críticas pesadas do treinador Augusto Inácio aos jogadores e indiretamente a diretoria, ao reclamar do elenco enxuto. O clima não era bom.

Fevereiro

O Avaí iniciou fevereiro pressionado. Porém, parecia que a paz viria após a vitória no clássico contra o Figueirense no estádio Orlando Scarpelli. A equipe fez partida segura e bateu o rival por 2 a 0, gols de Jonathan e Pedro Castro.

Avaí venceu o clássico e parecia que a paz voltaria a Ressacada – Foto: ESTADÃO CONTEÚDO/ND

No início do mês o Leão ainda anunciou mais quatro reforços, Adryan, Vinícius Jaú, Gaston Fernandez e Kelvin. Parecia que iria embalar, mas só parecia. Em nova partida na Ressacada, dessa vez contra o Criciúma, o Avaí esbarrou na trave e perdeu novamente em casa, 1 a 0.

A pressão ficou insustentável poucos dias depois. O Leão viajou até Araraquara, em São Paulo, para iniciar sua caminhada na Copa do Brasil. A equipe de Florianópolis precisava apenas de um empate para avançar na competição, porém foi derrotada por 2 a 0 pela equipe da casa e deu adeus à competição.

Foi a gota d’água. Com a derrota o técnico Augusto Inácio foi demitido após apenas sete partidas. Em sua volta a Portugal o técnico criticou a diretoria do Leão.

Derrota para a Ferroviária foi a gota d’água para o trabalho de Augusto Inácio – Foto: ESTADÃO CONTEÚDO/ND

Após a demissão de Inácio o Leão buscou Rodrigo Santana, ex-Atlético-MG que tem mostrado bons números. O treinador teve 14 dias para preparar a equipe para a sequência do campeonato.

Março

Rodrigo Santana estreou com o pé direto e bateu o Tubarão, fora de casa, pelo placar de 2 a 0. Porém, a atuação da equipe ainda ficou a desejar. Em março, o Leão ainda bateu o Juventus, na Ressacada e empatou com Concórdia, terminando em 1º no turno do Catarinense, após a derrota do Brusque diante do Figueirense.

Rodrigo Santana está invicto no comando do Leão – Foto: Leandro Boeira/Avaí/ND

Ainda em março o presidente Francisco Battistotti precisou se afastar do cargo devido a problemas de saúde. Ele sofre de sofre de isquemia no nervo trigêmeo. A redução no fluxo sanguíneo é consequência de complicações da diabetes, no entanto, uma irritação no olho durante uma viagem ao Rio de Janeiro agravou o quadro.

Neste período, o vice-presidente Amaro Lúcio da Silva assumiu de maneira interina a presidência do clube.

Relembre momentos marcantes do Avaí na temporada:

Números da equipe em 2020:

  • 11 Jogos
  • 5 vitórias
  • 2 empates
  • 4 derrotas
  • Aproveitamento: 51,5%

Gols:

  • 12 gols a favor
  • 9 gols contra
  • Artilheiro: Jonathan (3 gols)

Avaliação:

  • Destaque: Valdívia – o meia tem mostrado bom futebol no Leão;
  • Ficou devendo: Bruno Silva – o jogador fez poucos jogos pelo Avaí após ser suspenso ao se envolver em confusão no clássico contra o Figueirense;
  • Pode mais: Kelvin – o atacante tem sido titular com Rodrigo Santana, mas ainda deve uma boa atuação;
  • Pode surpreender: Da Silva – o jovem atacante tem treinado bem e marcou um gol diante do Juventus;
  • Decepcionou: Augusto Inácio – o treinador chegou badalado ao Avaí, porém em atrito com diretoria e jogadores mostrou números decepcionantes, além de inconsistência em campo.

Futebol