Venceu sem sustos

Atuação extremamente tranquila do Joinville ontem, no clássico contra o Criciúma. O primeiro tempo teve um pouco de equilíbrio, mas a segunda etapa foi dominada pelo Tricolor. Os números nos ajudam a compreender um pouco desta soberania do JEC. Nos 45 minutos finais, o Joinville teve sete finalizações contra apenas uma do Tigre, que aconteceu em bola parada, num chute de Lucca na trave. Evidente que a ausência de Zé Carlos comprometeu o sistema ofensivo do Criciúma. Mas o time do Sul deveria ter mais opções, como teve o Joinville. No segundo tempo, Ramon deu lugar a João Henrique. João Henrique não armou jogadas, mas deu mais mobilidade ao meio-campo do Joinville, com passes curtos e velocidade. Desta maneira, o Tricolor construiu o placar de 3 a 0, primeiro na bola aérea com Bruno Rangel, depois no pênalti cobrado por Lima e, por fim, no contra-ataque aproveitado também por Lima. Vitória sem sustos, de quem realmente buscou o resultado.

Grande exibição

É verdade que ele foi pouco exigido, mas quando apareceu, Jhonatan esteve bem no gol do Joinville. Sinal de que o clube pode confiar no seu goleiro formado nas categorias de base. Faz tempo que o Tricolor não aposta num prata da casa para o gol. Acredito que Jhonatan pode ser o reserva imediato de Ivan. Merece esta oportunidade.

Classificação

A tabela de jogos do Catarinense mostra um cenário bem interessante para as semifinais. O Figueirense terá na penúltima rodada o rebaixado Brusque e, na última rodada, o sem pretensões Camboriú. Ou seja, se quiser, o Alvinegro tem grandes chances de terminar o returno como campeão. Neste caso, enfrentaria o terceiro colocado do índice técnico. Se não for campeão do returno, o Alvinegro jogará contra o time de melhor índice técnico. Teoricamente, ser campeão do returno seria a melhor opção para o Figueira, mas o clube da Capital poderá escolher qual rumo tomar. Isso diretamente irá influenciar a classificação do JEC, que disputa contra o Alvinegro o título do returno. O problema para o Tricolor é o compromisso diante do desesperado Avaí, no próximo fim de semana. Portanto, para ser campeão do returno, penso que o JEC precisará ganhar os dois próximos jogos.

– Derrota sofrida do Joinville, no sábado, contra o Pinheiros-SP. Isso mostra o quanto o time cresceu neste returno do NBB (Novo Basquete Brasil). Perder para o líder, na prorrogação, por apenas um ponto, é um indício de que a equipe de José Neto dará trabalho nos playoffs. E o provável adversário será o Franca-SP, justamente a aposta feita pelo colunista, há algumas rodadas.

– Sofrido também foi o empate da Krona contra o Copagril-PR, no sábado, em Marechal Cândido Rondon. O resultado foi bom, mas poderia ter sido melhor não fosse o gol a 20 segundos do fim dos donos da casa. Hoje, o time de Ferretti encara outra pedreira: o Umuarama-PR.

– Considerei a Chapecoense fora da briga pela classificação. Depois de duas vitórias seguidas, a equipe do Oeste aparece como a mais forte candidata à classificação às semifinais. O Verdão recebe na Arena Condá o Atlético de Ibirama e o Criciúma. Ou seja, se fizer a lição de casa, avança no campeonato.