Yago Dora e Samuel Pupo buscam título do QS10000 de Ericeira neste domingo

Atualizado

Yago Dora tenta conquistar mais um título na temporada após vencer o US Open. Foto: Damien Poullenot/ND

Um confronto direto entre as duas maiores potencias do surfe mundial, vai decidir os finalistas do último QS 10000 antes do encerramento do WSL Qualifying Series no Havaí. O primeiro duelo Brasil x Austrália do EDP Billabong Pro Ericeira no domingo em Portugal, será o do atual campeão sul-americano Pro Junior da WSL Latin America, Samuel Pupo, que completou 19 anos de idade na sexta-feira, com o também jovem Jacob Willcox, 23.

O outro é o do novo vice-líder do ranking, Yago Dora, igualmente com 23 anos e já na divisão de elite da World Surf League, com o ex-top e bem mais experiente, Stu Kennedy, 28 anos. A primeira chamada para as semifinais é as 10h00 do domingo em Portugal, 6h00 da manhã no Brasil, com transmissão ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo da WSL.

O irmão mais jovem do ex-vice-líder do ranking, Miguel Pupo, começou bem o sábado. Samuca venceu a primeira bateria em mais um dia de mar pesado nas direitas de Ribeira D´Ilhas, com a comissão técnica até liberando o uso do jet-ski para levar os atletas de volta ao outside, depois de surfarem suas ondas. Samuca tinha conseguido a maior nota (6,83) da bateria contra o norte-americano Ian Crane, mas só confirmou a vitória na última onda, com o 5,93 recebido para totalizar 12,76 a 10,90 pontos.

Samuel Pupo busca primeiro título de uma etapa do WQS. Foto: Damien Poullenot/ND

Nas quartas de final, Samuel optou em fazer manobras grandes logo que entrava na onda, nas partes mais críticas, pois nem ele e nem o sul-africano Matthew McGillivray, tiveram muitas oportunidades para surfar nessa bateria. Pupo aproveitou muito bem as poucas chances e ganhou notas 8,23 e 8,17, para vencer por 16,40 a 14,33 pontos. O sul-africano até tirou um 8,50 na sua segunda e última onda surfada. Se ele passasse a bateria, entraria na lista dos dez que o QS classifica para a elite dos top-34 no World Surf League Championship Tour.

Mas, é Samuel Pupo quem segue com essa chance, de ser o sexto brasileiro no G-10. Para isso, tem que conseguir o melhor resultado da sua carreira que está só iniciando, chegar em sua primeira final em etapas com status máximo do WSL Qualifying Series. Ou seja, derrotar o australiano Jacob Willcox na primeira semifinal, que será iniciada às 10h00 deste domingo em Ericeira, 6h00 da manhã no fuso horário de Brasília.

“Estou apenas me divertindo e as condições (do mar) estão incríveis nesses últimos dias”,destacou Samuel Pupo. “Adoro surfar em ondas maiores, especialmente quando elas têm uma parede limpa para fazer as manobras, então Ribeira D´Ilhas está sendo uma onda perfeita para mim. Eu sinto que tenho surfado bem e que os juízes estão gostando do meu surfe, então estou muito feliz e quero seguir assim, fazendo o que venho fazendo, porque tá dando certo”.

Australiano Stuart Kennedy já integrou a elite do surfe mundial. Foto: Damien Poullenot/ND

NOVO VICE-LÍDER – Samuel Pupo chegou no QS 10000 de Ericeira em 39.o lugar no ranking e já aparece em 16º, com os 6.500 pontos garantidos no ranking pela classificação para as semifinais. Já o catarinense Yago Dora, estava em oitavo e assumiu a vice-liderança, sendo o quarto brasileiro a ultrapassar a barreira dos 20.000 pontos no QS, que praticamente garante vaga entre os dez indicados para o CT. Os outros são o líder Jadson André, Alex Ribeiro que Yago derrotou no sábado e Miguel Pupo, que era o vice-líder antes desta etapa.

No momento, Yago está fora da lista dos 22 primeiros colocados no ranking do CT, que são mantidos na elite dos top-34 para o ano que vem. Agora, encaminhou sua permanência pelo ranking de acesso e pode até tirar a liderança do potiguar Jadson André, se ganhar a segunda vaga na final em Portugal do australiano Stu Kennedy. Esta é a segunda etapa seguida do QS 10000 na Europa, que pode ser encerrada com uma decisão de título 100% brasileira.

Jacob Willcox. Foto: Damien Poullenot/ND

HEGEMONIA NOS QS 10000 – Em Pantin, na Espanha, o norte-americano Jake Marshall impediu isso, barrando Jadson André na primeira semifinal. Miguel Pupo ganhou a outra e manteve a hegemonia de vitórias verde-amarelas nas três etapas do QS 10000 esse ano, levando o troféu de campeão do Abanca Galicia Classic Surf Pro em La Coruña.

Dois brasileiros também chegaram nas semifinais do QS 10000 Vans US Open of Surfing em Huntington Beach. Mas, se enfrentaram e Yago Dora derrotou Alex Ribeiro para faturar o título no maior palco do surfe norte-americano, batendo o australiano Liam O´Brien na final. Somente na África do Sul, que o paulista Deivid Silva chegou sozinho e também derrotou um australiano, Jack Freestone, na decisão do QS 10000 Ballito Pro.

Em Portugal, Yago Dora e Alex Ribeiro reeditaram a semifinal do US Open na Califórnia e o resultado foi o mesmo, com o catarinense ganhando a última vaga para as quartas de final por 15,34 a 13,20 pontos, somando as notas 7,17 e 8,17 das primeiras ondas que surfou. Depois, Yago fechou o sábado, quando o mar estava mais difícil, com poucas ondas boas.

O sul-africano Adin Masencamp só pegou duas, que valeram 6,17 e 8,83 para totalizar 15,00 pontos. Yago Dora começou com 5,33, mas a seguinte foi excelente, 8,93 mostrando a força do seu backside nas direitas de Ribeira D´Ilhas. No entanto, precisava trocar sua segunda nota e só conseguiu isso na última onda, que os juízes deram 6,13 para ele seguir para as semifinais por uma pequena vantagem de 15,06 a 15,00 pontos.

“Eu achei que tinha conseguido um 9,0 naquela onda, porque foi muito boa. Mas, cheguei perto e sabia que precisava de outra onda”, contou Yago Dora. “Eu vi algumas esquerdas surgindo e sabia que, se eu não fosse nelas, o Adin (Masencamp) pegaria a onda. Eu acabei caindo, mas ainda achei uma boa no inside logo depois, para fazer algumas manobras e me classificar. Eu sabia que era minha última oportunidade e não poderia perder a chance, então estou feliz por ter conseguido a nota que precisava”.

DOMÍNIO BRASILEIRO – Com a classificação, Yago Dora manteve a possibilidade de uma decisão verde-amarela no QS 10000 EDP Billabong Pro Ericeira, para ratificar de vez o total domínio brasileiro nas duas divisões do Circuito Mundial esse ano. No World Surf League Championship Tour, Gabriel Medina assumiu a liderança com a vitória no Surf Ranch e Filipe Toledo é o segundo colocado na corrida do título mundial, nesta reta final da temporada.

No WSL Qualifying Series, os brasileiros venceram as três etapas do QS 10000 já disputadas e agora são quatro liderando a batalha pelas dez vagas para o CT 2020. Jadson André segue na frente, agora com Yago Dora em segundo, Alex Ribeiro em terceiro e Miguel Pupo em quarto. Os quatro são os únicos com mais de 20.000 pontos no ranking, que praticamente garantem vaga no G-10, mas suas classificações ainda não foram oficializadas pela World Surf League.

CHANCES ADIADAS – Outros dois surfistas poderiam ultrapassar essa barreira dos 20.000 pontos em Ericeira, mas tiveram essa chance adiada para a Tríplice Coroa Havaiana no sábado, pelo mesmo australiano Stu Kennedy. Um era o português Frederico Morais, que entrou no G-10 com a vitória no QS 6000 Azores Airlines Pro, no domingo passado. Ele passaria dos 20.000 pontos se chegasse nas semifinais em Ericeira, porém foi barrado nas oitavas de final.

Como terminou em nono lugar no EDP Billabong Pro Ericeira, o português ficou com 17.450 pontos, mas subiu de décimo para sexto no ranking, no momento. O australiano Connor O´Leary precisava da vitória em Ribeira D´Ilhas e perdeu para Stu Kennedy nas quartas de final. Mesmo assim, foi o único a entrar no G-10 em Ericeira até agora, saindo da 13ª para a oitava posição no ranking atualizado com os resultados do sábado em Portugal.

SEMIFINAIS DO QS 10000 EDP BILLABONG PRO ERICEIRA:
1ª: Samuel Pupo (BRA) x Jacob Willcox (AUS)
2ª: Yago Dora (BRA) x Stu Kennedy (AUS)

RESULTADOS DO SÁBADO EM PORTUGAL:
QUARTAS DE FINAL – 5º lugar com US$ 5.000 e 5.200 pontos:
1ª: Jacob Willcox (AUS) 15.57 x 13.26 Ethan Ewing (AUS)
2ª: Samuel Pupo (BRA) 16.40 x 14.33 Matthew McGillivray (AFR)
3ª: Stu Kennedy (AUS) 14.73 x 10.27 Connor O´Leary (AUS)
4ª: Yago Dora (BRA) 15.06 x 15.00 Adin Masencamp (AFR)

OITAVAS DE FINAL – 9º lugar com US$ 3.550 e 3.700 pontos:
Baterias que abriram o sábado:
4ª: Samuel Pupo (BRA) 12.76 x 10.90 Ian Crane (EUA)
5ª: Stu Kennedy (AUS) 14.93 x 14.80 Frederico Moraes (PRT)
6ª: Connor O´Leary (AUS) 15.67 x 14.17 Chris Zaffis (AUS)
7ª: Adin Masencamp (AFR) 14.93 x 10.33 Joshua Moniz (HAV)
8ª: Yago Dora (BRA) 15.34 x 13.20 Alex Ribeiro (BRA)

Mais conteúdo sobre

Surfe